Menu
Busca quinta, 27 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221
COLABORADORES

Cassems realiza campanha e cadastra 200 doadores de Medula Óssea

21 setembro 2017 - 17h50

O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para milhares de portadores de doenças que afetam as células do sangue, como leucemia. A chance de encontrar uma medula compatível para a doação chega a ser de uma em cem mil. Para que esse número diminua a Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (Cassems) lançou, na última segunda-feira (18), a campanha #Bora Doar Sangue e Medula?

A semana de campanha já contou com diversas ações de conscientização, dentre elas o cadastramento de possíveis doadores de Medula Óssea, que já aconteceu na sede da Cassems, nesta terça-feira (19) e nesta quinta-feira (21) no Hospital da Caixa de Assistência. Foram cerca de 200 doadores cadastrados no Redome (Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea), todos colaboradores da Caixa de Assistência.

De acordo com o presidente da Cassems, Ricardo Ayache, a campanha é uma verdadeira força-tarefa para conscientizar as pessoas sobre a importância de se cadastrar como possível doador de medula óssea e, dar continuidade a campanha de doação de sangue que é feita todos os anos pela Cassems. "Temos a expectativa de conseguir pelo menos 500 novos doadores e o principal, queremos tornar o ato de doar sangue e fazer o bem a quem precisa uma cultura na nossa Caixa de Assistência", disse.

Para o professor Carlos Alberto Rezende, presidente do Instituto Sangue Bom, que foi um receptor de Medula Óssea, ato que salvou sua vida após um diagnóstico de Aplasia Medular, a iniciativa da Cassems é louvável. "O Instituto Sangue Bom não poderia deixar de estar presente nesta ação importantíssima da Cassems e não poderíamos deixar de agradecer pessoas como o presidente, Ricardo Ayache, que são sensíveis as causas sociais. Nasci de novo quando recebi a notícia que tinha encontrado um doador e quero que outras pessoas tenham a mesma chance que eu", ressalta.

O ato é uma parceria entre a Caixa dos Servidores e o Hemosul, Instituto Sangue Bom, Fórum dos Servidores Públicos do Estado de Mato Grosso do Sul, OAB/MS, Pátio Central – Shopping do Centro, Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul (Coren), Conselho Regional de Farmácia de Mato Grosso do Sul (CRFMS).

Seja um doador

Para doar sangue é preciso estar munido de um documento oficial com foto, como a carteira de identidade ou de motorista. Os doadores precisam ter entre 16 e 69 anos. Para se tornar um doador de Medula Óssea é necessário ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde. Na hora é tirado um pouquinho de sangue que será enviado para a análise e se estiver tudo bem a pessoa será cadastrada como apta no Redome (Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea).

O Hemosul fica na avenida Fernando Corrêa da Costa, n°1.304, na região central de Campo Grande. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h30 e no sábado das 7h às 12h30. Interessados podem entrar em contato com o Hemosul pelo telefone 3312-1517

Deixe seu Comentário

Leia Também

PIRACEMA
Apreensões durante operação chega a 859kg de pescado
DOURADOS
Procon fiscaliza venda irregular de azeite e milho em conserva em supermercados
ECONOMIA
Contas públicas têm superávit recorde de R$ 44,12 bi em janeiro
MATO GROSSO DO SUL
Traficantes tinham modalidade de "disque-drogas" em cidade do interior
ESTADO
Ciclista que perdeu perna ao ser atropelado será indenizado em R$ 41 mil
BENEFÍCIOS
Carteira Estudantil de Mato Grosso do Sul pode ser criada
CLIMA
Inmet alerta para possibilidade de chuva intensa em 15 municípios de MS
ATENTADO
Marido tem 90% do corpo queimado após esposa atear fogo nele
DOURADOS
Sete caminhões de entulho são retirados de distrito em mutirão contra o Aedes
ASSEMBLEIA
Proposta permite incluir nome de cônjuge nas faturas de água, luz, gás e telefone

Mais Lidas

MULTIDÃO
Carnaval na praça central de Dourados termina em ‘confusão e sujeira’
DOURADOS
Mulher tenta sair de mercado com quase R$ 700 em compras sem pagar
INVESTIGAÇÃO
Ex-prefeito de Amambai foi morto após discussão por desacordo trabalhista
PONTA PORÃ
Estado monitora caso suspeito de Coronavírus na fronteira