Menu
Busca quinta, 18 de julho de 2019
(67) 9860-3221
FORTALECIMENTO

Burocracia "mata" o pequeno empresário, diz ministro em MS

24 junho 2015 - 17h00

Em visita ao Mato Grosso do Sul nesta quarta-feira (24) onde participou de ações para divulgar e buscar apoio da bancada federal do projeto de lei “Crescer sem Medo”, que está em tramitação no Congresso Nacional e vista ampliar os limites do Supersimples e adequar as regras de transição entre as faixas de faturamento, o ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos citou a burocracia como uma das razões pelo qual as pequenas e médias empresas não conseguem crescer no país.

“O que mata o pequeno [micro e pequena empresa] no país é a burocracia. O sistema tributário não adaptado a sua realidade. O sistema atual está muito mais a serviço para mantê-lo pequeno e não para deixá-lo crescer”, disse ao chegar em Campo Grande.

Ao portal G1/MS Domingos disse estar em campanha pelo país para divulgar o projeto e pretende desonerar boa parte do que é desembolsado pelo empresário de pequeno porte atualmente, evitando o que ele denomina de 'empresas caranguejos'.

“Estou em campanha pelo Brasil para ter apoio muito firme das bancadas para a aprovação no Congresso do projeto. Um dos principais pontos é reduzir de 20 para 7 o número de faixas de faturamento do Simples. O segundo é criar uma rampa de acesso e não uma escada entre as faixas, com um sistema progressivo. Desse modo, quando o empresário está em uma faixa e pula para a outra, só vai pagar na outra a diferença. Com isso, vamos corrigir uma distorção, acabar com as empresas caranguejo, que em vez de crescer, andam de lado, para não mudar de faixa”, disse ao G1.

O ministro afirmou que as micro e pequenas empresas têm uma importância fundamental para a economia brasileira e que precisam de um “olhar com atenção diferenciada”. "As micro e pequenas empresas representam atualmente 97% do universo empresarial brasileiro. Elas são as grandes geradora de emprego e renda no país. Com menor capital que as grandes, fazem mais em favor do social, ao criar e manter postos de trabalho”, ressaltou.

Ao analisar o panorama atual da crise no país, Domingos, destacou ainda a diferença entre como as grandes e pequenas empresas estão lidando com a situação. "A crise no Brasil de hoje é do andar de cima [das grandes empresas], não é do andar debaixo [micro e pequenas]. Elas [micro e pequenas] continua trabalhando duro, mas não são olhadas pelas políticas públicas. A criação do ministério foi exatamente um olhar sobre políticas públicas voltadas ao micro e pequeno empresário. O andar de cima olha muito os grandes. O sistema financeiro hoje está a serviço dos grandes. O crédito não chega na ponta. Portanto, nós temos que fazer hoje um grande mutirão, trazer o Brasil para esta realidade. Nada contra os grandes, mas muito a favor dos pequenos”, concluiu.

Após percorrer as capitais dos estados para debater o projeto, as demandas do setor, coletadas nas visitas aos estados, vão fazer parte de um relatório que será encaminhado a Comissão Especial do Supersimples. Aprovado na comissão, o projeto segue direto para a apreciação nos plenários, primeiro o da Câmara dos Deputados e depois o do Senado.

Aprovado nas duas casas, como é uma proposta de lei complementar, deve entrar em vigor já em 2016.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FUTEBOL AMADOR
Inscrições para ‘12ª Copa Saúde Cassems de Futebol Society’ vão até o dia 31 de julho
POLÍTICA
Marun anuncia Puccinelli à disputa ao Governo em 2022
DOURADOS
Fundação contratada por R$ 243 mil apresenta Plano de Arborização Urbana
FRONTEIRA
Pistoleiros são presos após executarem homem a tiros
FUTEBOL
Série B do Brasileirão tem um jogo marcado para hoje
DOURADOS
"Pirão do Bem" acontece neste sábado no Rotary Guaicurus
DANOS MORAIS
Acusada por furto que não cometeu será indenizada em R$ 15 mil por supermercado
DOURADOS
Reunião na Câmara discutirá meio de reverter corte em obra do aeroporto
ADEQUAÇÃO
Lei que proíbe canudos plásticos em MS é sancionada
BRASIL
Índice de confiança do empresário cresce pelo segundo mês consecutivo

Mais Lidas

DOURADOS
Execução de comerciante douradense foi “comemorada” com tiros em bairro da periferia
DOURADOS
Indígenas invadem propriedade e atacam policiais com flechas e coquetel molotov
DINHEIRO NOVO
Governo deve anunciar ainda esta semana a liberação de saques do FGTS
POLÍCIA
Polícia prende ladrão de moto e descobre ‘boca de fumo’ no Dioclécio Artuzi