Menu
Busca segunda, 10 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221
JUSTIÇA

Afastada por processo disciplinar, Tânia Borges recorre ao STF para recuperar cargo no TRE-MS

Decisão do CNJ foi para garantir confiabilidade das eleições

13 outubro 2018 - 08h15Por Da Redação

Após ser afastada do cargo de presidente do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), a desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges acionou o STF (Superior Tribunal Federal) por meio de um mandado de segurança para retormar o cargo e as funções de magistrada no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

Segundo o jornal Correio do Estado, o mandado de segurança foi protocolado no STF na quinta-feira (11), pelo advogado Cezar Roberto Bittencourt. O recurso será analisado por Luiz Fux, ministro do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No site do STF não é possível consultar o teor do documento, apenas o andamento do processo. A reportagem também não conseguiu contato com o advogado Cezar Roberto Bittencourt.

Ainda segundo o site, o mandado de segurança é um tipo de ação jurídica usada para proteger um direito que tenha sido violado ou que esteja sob ameaça por abuso de poder praticado por uma autoridade pública.

Também é considerado um remédio constitucional – ferramenta jurídica usada para a proteção de direitos que são garantidos na Constituição Federal.

A desembargadora responde a processo disciplinar no CNJ por usar seu cargo em interesse privado, exercendo possível influência e interferência e utilizando da estrutura da administração pública  para soltar o filho Breno Fernando Solon Borges, acusado de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo.
Conforme sucessão natural, após presidir o TRE-MS, Tânia seria conduzida ao cargo de presidente do TJMS, o que só não ocorrerá em razão do afastamento dela. “Na última semana do mês de outubro, haverá uma reunião, em que os membros do Tribunal Pleno devem eleger quem irá compor a próxima administração, isso conforme regimento interno”, informou a assessoria de imprensa do TJMS.

Já a presidência do TRE-MS ficará a cargo do desembargador João Maria Lós, que atualmente ocupa a função de vice-presidente do órgão.

A posse do desembargador está marcada para segunda-feira (15), pois ele está de licença, no entanto, não haverá nenhuma solenidade.

Em junho, a 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul arquivou, por unanimidade, a ação de improbidade administrativa contra a desembargadora Tânia, no processo que investiga o uso de carro oficial e escolta em benefício do filho dela. Na ação, foi solicitada a devolução do dinheiro da diária de um policial e do combustível do carro, além de pagamento de multa de 100 vezes sobre o salário dela, equivalente a R$ 3 milhões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Ações marcam atuação do Estado na defesa dos Direitos Humanos
TRÊS LAGOAS
Confirmada primeira morte por dengue no Estado
DOURADOS
Vereadores que deixaram sessão precisariam de 10 votos para mudar regimento
POLÍCIA
Bêbado agride esposa e deixa enteada desacordada
GERAL
Justiça autoriza ex-executivo da Nissan a recuperar bens no Rio
EM MATO GROSSO DO SUL
Lei obriga cartazes em locais públicos informando sobre riscos de queimadas
DOURADOS
Vereadores da base aliada abandonam plenário durante sessão extraordinária
GERAL
Programa ‘Casal Grávido’ realiza curso de orientações a pais e mães
DOURADOS
Banda Trajeto2 faz show hoje na Praça Antônio João e apresenta novo CD
CALOR
Calorão eleva temperatura a 30ºC nas primeiras horas do dia

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Idosa é espancada, esfaqueada e vai parar na UTI após assalto em Dourados
DOURADOS
Dupla é presa por tráfico de drogas na Vila Mariana
DOURADOS
Por força judicial, terceira sessão para definir Mesa Diretora da Câmara é cancelada
INVESTIGAÇÃO
Brasileira desaparecida na Austrália é encontrada morta em praia