Menu
Busca quinta, 20 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

CCZ estima que 20 mil cães tenham leishmaniose na Capital

07 janeiro 2004 - 14h38

 O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Campo Grande estima que pelo menos 20 mil cães estejam infectados com a leishmaniose na Capital. De acordo com o diretor do órgão, o veterinário Francisco de Carvalho, no ano passado foram recolhidos 12 mil animais positivos. “Se continuar nessa proporção a situação vai ficar sem controle”, comentou em entrevista ao programa Noticidade, FM 97,9. Como defende Carvalho, na situação de calamidade em que a cidade se encontra a meta do centro não chega a erradicação da doença, mas apenas ao seu controle. “Sabemos que a doença não será erradicada”, adiantou. Hoje, atuam no combate e orientação sanitária mil agentes. Só na área central são 250 pessoas divididas em cinco grupos. “É preciso que a população se conscientize que mais triste que sacrificar um animal de estimação é perder uma pessoa”, compara.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRÉDITO
Caixa anuncia financiamento imobiliário com juros fixos
BRASILÂNDIA
Homem é preso em flagrante após agredir mulher
DOURADOS
Comissão pede audiência, contratação de auxiliares e professores coordenadores
DOURADOS
Programa IST/Aids realiza ações durante o carnaval
SEGURANÇA PÚBLICA
Governo convoca aprovados para Cursos de Formação de Oficiais da PM e Bombeiros
BRASIL
Por unanimidade, TSE nega registro a Partido Nacional Corinthiano
EDUCAÇÃO
"UEMS Acolhe" divulga cursos de português para estrangeiros em 2020
OPERAÇÃO CARNAVAL
Polícia alerta para aumento em até 40% de veículos em rodovias de MS
ESPORTE
Abertas as inscrições para o estadual de beach tennis
APÓS CONFRONTO
Força Nacional é enviada ao Ceará para apoio nas ações de segurança

Mais Lidas

APÓS 9 ANOS
Hipermercado fecha as portas em Dourados no final do mês
DOURADOS
Policial aposentado mata homem e diz ter sido ameaçado com faca
VIOLÊNCIA
Homem é assassinado em frente a padaria em Dourados
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018