Menu
Busca domingo, 26 de janeiro de 2020
(67) 9860-3221

Carlito Dutra contesta instalação de usina em Corumbá

17 agosto 2006 - 10h25

Ao contrário do que declarou o candidato ao Governos Delcídio do Amaral que comemorou a licença de instalação da siderúrgica MMX para montar o canteiro de obras em Corumbá, o candidato Carlos Dutra, da Frente de Esquerda (PSTU/PSOL) disse hoje em Brasilândia, que “ não há nada a comemorar. Pelo contrário, o Mato Grosso do Sul passa a viver a partir de agora o seu maior pesadelo”.O candidato refere-se a notícia veiculada ontem pela imprensa que o candidato do PT ao governo do Estado havia comemorado a licença emitida pelo Sema (Secretaria Estadual de Maio Ambiente) para a instalação da processadora de minérios em Corumbá. Para Carlos Dutra "tanto Delcidio como André, ambos defendem esse projeto, portanto, a crítica vai para os dois"., justifica.Carlos Dutra explica que “a MMX (Mineração e Metálicos S A) é a mesma subsidiária da transnacional EBX, da Bolívia e que foi expulsa de lá por ferir a Constituição soberana daquele país, e agora, encontra o paraíso em terra brasilis para expandir os seus negócios”.Para Carlos Dutra a instalação da multinacional MMX, “além de ferir a Lei Federal 6.634/79 que resguarda as nossas fronteiras contra a  instalação de multinacionais nessas áreas vitais do país, só irá beneficiar o mercado internacional promovendo o saque das riquezas do Estado, além do que já existe nessa mesma região a Mineradora  Corumbaense Reunida ligada a Rio Tinto, contra quem houve recentemente denúncias de que ela só está dando prejuízo financeiro ao Estado, além de estar dilapidando 600 mil toneladas de minérios o nosso Estado”.Contra essa situação, explica o teólogo, a Frente tem posição fechada: “As riquezas naturais do solo e subsolo devem ser controladas pelo povo de Mato Grosso do Sul. Defendemos também que as riquezas do nosso solo e subsolo devam retornar à propriedade do povo sul-mato-grossense e não às grandes transnacionais”.Para o candidato “não é possível que todo o subsolo do Estado esteja nas mãos das grandes mineradoras que só são beneficiadas por bilhões de dólares do BNDES, que é dinheiro público e vai todo para as mãos do grande capital”Carlos Dutra prega “investimentos e infra-estrutura em benefício das atividades tradicionais da população local, que precisa ter a sua vida melhorada. É desumano desalojar famílias de suas regiões para que novos donos se apossem. A Frente de Esquerda prega a reestatização da Vale do Rio Doce. É preciso devolver ao povo o que foi tirado do povo”, conclui. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÁFICO
Taxista boliviano é preso em MS com cocaína que entregaria em São Paulo
BATAYPORÃ
Vereador denuncia reforma de carro particular em oficina municipal
CRIME AMBIENTAL
Homem é multado em R$ 11 mil por desmatamento de vegetação nativa
COURO
Feira da Indústria de Calçados começa com projeções positivas
LUTO NO ESPORTE
Kobe Bryant, astro da NBA, morre aos 41 anos em acidente de helicóptero
CONCURSOS
Ao menos 15 órgãos abrem inscrições nesta segunda para mais de 600 vagas
COSTA RICA
Polícia prende suspeito de matar homem com tiros pelas costas em bar
DESLIZAMENTOS
Defesa Civil confirma 37 mortes por causa da chuva em Minas Gerais
BATAYPORÃ
Mulher de 22 anos é multada em R$ 1 mil por maus-tratos a cachorro
ECONOMIA
Dourados recebe palestra com técnicas para fugir da rotina na empresa

Mais Lidas

DOAÇÃO
Órgãos captados em Dourados vão salvar vidas em três Estados
DOURADOS
Motociclista bate em caminhão da coleta de lixo e fica em estado gravíssimo
MS
Homem é acusado de colocar sedativo no leite para abusar de enteada
DOURADOS
Designação para escolas e Ceim’s acontece neste sábado