Menu
Busca terça, 07 de julho de 2020
(67) 99659-5905

Unimed deve indenizar motorista de ambulância

31 maio 2011 - 08h51

A Sociedade Cooperativa Unimed Pelotas, na Zona Sul do Rio Grande do Sul, deve indenizar por danos morais e materiais um motorista de ambulância que teve perda auditiva devido à atividade. A decisão foi tomara pela da 9ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul, no dia 7 de abril. O TJ gaúcho manteve a sentença do juiz Luís Carlos Pinto Gastal, da 1ª Vara do Trabalho de Pelotas. Cabe recurso.

O autor da ação trabalhou por mais de 10 anos para a Unimed. Dirigiu ambulâncias, que andavam, segundo ele, quase sempre com a sirene acionada. A jornada de 12 horas de trabalho, nestas condições, resultou em lesão auditiva que gerou perda permanente de 20% da capacidade funcional do autor.

O juízo de origem, acolhendo a conclusão da perícia médica, reconheceu a existência do nexo causal entre a doença do motorista e a função exercida. O juiz ressaltou que a responsabilidade da empresa decorreu de forma objetiva e subjetiva, sobretudo diante da negligência com que tratou e trata o risco ocupacional específico.

Desta forma, a Justiça concedeu o pagamento de indenização por dano material no valor de R$ 68 mil, cálculo referente a 20% da remuneração para fins rescisórios, multiplicado pelo número de meses correspondente aos anos de expectativa de vida no Brasil. Para o ressarcimento por dano moral, o juiz arbitrou o valor de 1/5 da quantia imposta pelo dano material, que ficou em cerca de R$ 14 mil.

Na fase recursal, os desembargadores mantiveram a sentença sob o mesmo entendimento, mas reduziram a indenização de dano material para R$ 30 mil, valor médio adotado pela Turma em tais situações. O relator do acórdão, desembargador João Alfredo Borges Antunes de Miranda, destacou que “mesmo não caracterizado o dolo ou culpa direta do empregador, existe o desenvolvimento de uma atividade produtiva com potencial de risco para seus empregados, o que leva, ainda que de forma indireta, a uma configuração de culpa ou dolo de quem mantém tal atividade, que assume os ônus da mesma e que lucra com o trabalho de seus empregados”. Com informações da Assessoria de Imprensa do TRT-RS.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MATO GROSSO DO SUL
Com incêndio se propagando no Pantanal, tempo seco será crítico em MS até setembro
DOURADOS
Classificados em processo seletivo da Educação são convocados
PANDEMIA
Com sintomas, Bolsonaro diz que testou positivo para coronavírus
PANDEMIA
Com exames represados, Dourados tem mais 75 confirmações do novo coronavírus
PANDEMIA
MS confirma mais 434 novos casos de coronavírus e soma 128 óbitos
DOURADOS
Funsaud suspende visitas e acompanhantes aos pacientes do Hospital da Vida
DOURADOS
Procon diz que supermercados e bancos têm cumprido normas de prevenção ao novo coronavírus
PONTO CEGO
Operação do Gaeco mira facção e cumpre 40 mandados de prisão em quatro cidades
BATAGUASSU
Homem é flagrado transportando drogas na BR-267
DOURADOS
Proposta de R$ 116 mil vence licitação para construir trilha em bosque na feira

Mais Lidas

DOURADOS
Antes do crime, homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara
DOURADOS
Acusado de matar secretário em Dourados acaba preso em barreira sanitária
DOURADOS
Carro que atingiu ciclista pega fogo após bater em árvore ao lado de Avenida
DOURADOS
Adolescente pilota moto embriagado e tio morre após queda na Coronel Ponciano