Menu
Busca segunda, 12 de novembro de 2018
(67) 9860-3221

Tribunal Superior do Trabalho apresenta projeto de reforma da CLT

27 maio 2011 - 14h01

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro João Oreste Dalazen, entregou ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anteprojeto de lei que propõe alterações na CLT para disciplinar o cumprimento das sentenças e a execução de títulos extrajudiciais na Justiça do Trabalho. O anteprojeto deverá integrar o III Pacto Republicano, proposto pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Cezar Peluso.

O anteprojeto foi aprovado pelo Órgão Especial do TST na última terça-feira (24/5) e é resultado do trabalho de uma comissão criada em março pelo tribunal, formada por desembargadores e juízes para propor medidas que deem maior efetividade à execução trabalhista.

O ministro Dalazen destacou algumas mudanças trazidas pelo anteprojeto, como a ampliação da execução provisória. Atualmente, o processo para na penhora de bens. O dinheiro bloqueado em contas correntes ou os bens penhorados como garantia da dívida não podem ser utilizados para saldá-la antes do trânsito em julgado do processo.

Pela proposta, o pagamento passa a ser admitido nos casos em que a sentença seja sobre matéria já sumulada pelo TST. "Não há por que levar às últimas instâncias um caso em que já se sabe de antemão que a decisão será favorável ao empregado", explicou o presidente do TST.

Outro item apontado pelo ministro é a possibilidade do parcelamento da condenação em dinheiro em até seis vezes, mediante depósito de 30% do valor. "A rigidez atual, que exige o pagamento integral numa só prestação, é contrária à realidade e à dinâmica da economia", observa.
Para ressaltar a importância do anteprojeto, Dalazen voltou a lembrar que o credor de débitos trabalhistas não dispõe de mecanismos adequados, como no processo civil, de coerção e estímulo para que o devedor pague uma dívida judicial irreversível.
"De cada 100 trabalhadores que obtêm ganho de causa na Justiça do Trabalho, somente 31 chegam a receber seu crédito", afirmou. A taxa de congestionamento da Justiça Trabalhista na fase de execução é de 69%. "Desta forma, muitas sentenças da Justiça do Trabalho acabam se tornando meramente um 'parecer cultural', sem efeito concreto para o trabalhador", considera.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CLIMA
Segunda quente leva sensação térmica a quase 40ºC em Dourados
BRASILEIRÃO
Santos e Chapecoense entram em campo nesta segunda
CAMPO GRANDE
Evento sobre sistemas agroalimentares reúne pesquisadores do Brasil e de cinco países
BRASIL
Ministério pede imunização contra febre amarela antes do verão
CONTRABANDO
Polícia apreende 30 mil pacotes de cigarros em carreta
RESSOCIALIZAÇÃO
Empresas que contratam presos podem se inscrever para conquistar certificação nacional
DOURADOS
Campanha cadastra mais de 30 doadores de medula óssea
PARAÍSO DAS ÁGUAS
Caminhoneiro é preso acusado de estuprar adolescente em matagal
DOURADOS
Lia toma posse hoje e faz juramento na Câmara
ESPORTE
Panambi e abre vantagem para a grande final do 16º Interdistrital

Mais Lidas

DOURADOS
Dupla é presa após tentar matar homem no Centro e fugir de abordagem pela contra-mão
DOURADOS
Bandido coloca revólver na cabeça de mulher e rouba moto no Água Boa
ÑU VERA
Homem morre em Dourados após bebedeira
TRÁFICO
Homem é preso transportando mais de uma tonelada de maconha em caminhão baú