Menu
Busca sábado, 26 de maio de 2018
(67) 9860-3221
IMOBILIÁRIA CONTINENTAL (BANNER 1 TOPO)
PRESO EM CORUMBÁ

Supremo decide nesta terça-feira sobre extradição de Cesare Battisti

24 outubro 2017 - 07h30Por Agência Brasil

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve decidir nesta terça-feira, dia 24 de outubro, sobre a extradição do ex-ativista Cesare Battisti para a Itália. O caso voltou à tona no início do mês, quando Battisti foi preso e indiciado pela Polícia Federal (PF) pelos crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Ele foi detido em Corumbá, quando tentava atravessar a fronteira com a Bolívia com euros e dólares não declarados, mas ganhou o direito de aguardar o desfecho do processo em liberdade.

No dia 13 de outubro, o ministro relator do caso, Luiz Fux, atendeu a pedido feito pelos advogados do italiano e decidiu suspender eventual decisão do governo brasileiro para extraditar Battisti até a decisão final da Corte.

Também fazem parte do colegiado os ministros Marco Aurélio, Rosa Weber e Alexandre de Moraes. O ministro Luís Roberto Barroso atuou como advogado de Battisti em 2009, quando o STF julgou o caso pela primeira vez, e deverá ficar impedido de julgar o italiano. Dessa forma, o colegiado atuará com quatro votantes. Um empate, que pode beneficiar Battisti, não está descartado.

Outra possibilidade é uma proposta de questão de ordem durante a sessão, para que a extradição seja julgada pelo plenário da Corte, composto por 11 ministros.

Em parecer enviado ontem (23) ao STF, a Advocacia-Geral da União (AGU) defendeu que o ato de Lula que garantiu a permanência de Battisti pode ser revisto. No entendimento da AGU, a última palavra sobre a questão é do presidente Michel Temer.

Durante o julgamento, a defesa do Cesare Battisti deverá sustentar que ele não pode ser expulso do país porque tem um filho brasileiro, fato que impediria a entrega à Itália, de acordo com a jurisprudência do STF.

Histórico

Battisti foi condenado na Itália à prisão perpétua por homicídio, quando integrava o grupo Proletariados Armados pelo Comunismo. Ele chegou ao Brasil em 2004, onde foi preso três anos depois. O governo italiano pediu a extradição do ex-ativista, aceita pelo Supremo. Contudo, no último dia de seu mandato, em dezembro 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti deveria ficar no Brasil, e o ato foi confirmado pelo STF.

A Corte entendeu que a última palavra no caso deveria ser do presidente, porque se tratava de um tema de soberania nacional. Battisti saiu da Penitenciária da Papuda, em Brasília, em 9 de junho 2011, onde estava desde 2007. Em agosto daquele ano, o italiano obteve o visto de permanência do Conselho Nacional de Imigração.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Apresentadora Luciana Gimenez posta foto sensual deitada na cama
TRÁFICO
Adolescente é apreendido com "Super Maconha" na rodoviária de Dourados
ESPORTES
Atleta paralímpica de Dourados ganha três ouros em competição nacional
GREVE DOS CAMINHONEIROS
Caminhoneiros tiram veículos da rodovia, mas paralisação segue firme em Dourados
EXÉRCITO
CMO realiza reunião para definir ações para a greve dos caminhneiros
FUTEBOL
Real Madrid vence a Liga dos Campeões pela terceira época consecutiva
IMPOSTO
Justiça derruba portaria da Sefaz que vinha prejudicando a arrecadação
SERRA DA BODOQUENA
Kits do Desafio de Mountain Bike serão entregues neste sábado
VOZES ESPÍRITAS
Hoje tem palestra sobre Eurípedes Barsanulfo, o apóstolo da caridade
GREVE
UFGD estende interrupção das atividades acadêmicas e administrativas

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é preso revendendo gasolina em lava-rápido
R$ 6,50 O LITRO
Preso vendendo gasolina em lava-rápido responderá por crime ambiental
DOURADOS
Dupla invade contramão, rouba jovem e acaba presa
PROTESTOS
Temer autoriza uso de forças federais para desbloquear rodovias