Menu
Busca terça, 19 de junho de 2018
(67) 9860-3221
EX-ATIVISTA

STF adia decisão sobre extradição de Battisti

24 outubro 2017 - 14h05Por Agência Brasil

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (24) adiar o julgamento sobre a extradição do ex-ativista Cesare Battisti para a Itália. O colegiado iniciou o julgamento de um habeas corpus protocolado pela defesa do italiano para evitar a entrega, mas o relator do caso, ministro Luiz Fux, decidiu reautuar o processo para readequar o pedido juridicamente. Fux ainda deverá decidir se o caso poderá ser analisado pelo plenário da Corte, por envolver assunto da Presidência da República.

Ontem (23), em parecer enviado ao STF, a Advocacia-Geral da União (AGU) pediu que o caso fosse analisado pelo plenário e ainda argumentou que o ato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que permitiu a permanência da Cesare Battisti é discricionário e pode ser revisto. De acordo com o parecer, ao julgar o caso pela primeira vez, em 2009, a Corte não se manifestou sobre a possibilidade de ato ser revisto por outro presidente.

O caso voltou à tona no início do mês, quando Battisti foi preso e indiciado pela Polícia Federal (PF) pelos crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Ele foi detido em Corumbá (MS), quando tentava atravessar a fronteira com a Bolívia com euros e dólares não declarados, mas ganhou o direito de aguardar o desfecho do processo em liberdade.

A defesa de Cesare Battisti sustenta que ele não pode ser expulso do país porque tem um filho brasileiro, fato que impediria a entrega à Itália, de acordo com a jurisprudência do STF.

Histórico

Battisti foi condenado na Itália à prisão perpétua por homicídio quando integrava o grupo Proletariados Armados pelo Comunismo. Ele chegou ao Brasil em 2004, onde foi preso três anos depois. O governo italiano pediu a extradição do ex-ativista, aceita pelo Supremo. Contudo, no último dia de seu mandato, em dezembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti deveria ficar no Brasil e o ato foi confirmado pelo STF.

A Corte entendeu que a última palavra no caso deveria ser do presidente, porque se tratava de um tema de soberania nacional. Preso desde 2007, Battisti foi solto da Penitenciária da Papuda, em Brasília, em 9 de junho de 2011. Em agosto do mesmo ano, o italiano obteve o visto de permanência do Conselho Nacional de Imigração.

Deixe seu Comentário

Leia Também

HOMENAGEM
Renato Câmara entrega medalhas aos agentes da segurança pública de Dourados
DEFRON
Traficante condenado a mais de 12 anos é preso em Dourados
EDUCAÇÃO
Acordo formaliza implementação do projeto MPT na Escola
EX-PRESIDENTE
STF marca julgamento de pedido de liberdade de Lula para o dia 26
DIVERSIDADE
Abertura da 2ª Mostra LGBTIQ+ de Cinema será nesta sexta-feira
PARQUE DOS JEQUITIBÁS
Délia recebe moradores e apresenta investimento de R$ 3 milhões
ATENTADO CONTRA DIRCEU BETTONI
Sigilos bancário e telefônico de presos serão quebrados
TRÂNSITO
Recusas ao bafômetro superam flagrantes por dirigir bêbado nas rodovias federais
FALHA TECNOLÓGICA
Google vai corrigir falha no Chromecast que mostra localização de internautas
TRONCO E CONTENÇÃO PARA OVINOS
Invenção que otimiza ovinocultura é 2ª patente concedida à UFGD

Mais Lidas

PARANHOS
Testemunha de atentado a prefeito é executada
PARANHOS
Calote em venda de fazenda teria motivado atentado a prefeito
ÁGATA DE AÇO II
Brigada de Dourados desloca 600 homens para atuar contra crimes fronteiriços
SOLIDARIEDADE
Douradense busca ajuda para conseguir manter a família