Menu
Busca Domingo, 17 de Dezembro de 2017
(67) 9860-3221
Sertão Campanha - Dezembro2017
EX-ATIVISTA

STF adia decisão sobre extradição de Battisti

24 Outubro 2017 - 14h05Por Agência Brasil

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (24) adiar o julgamento sobre a extradição do ex-ativista Cesare Battisti para a Itália. O colegiado iniciou o julgamento de um habeas corpus protocolado pela defesa do italiano para evitar a entrega, mas o relator do caso, ministro Luiz Fux, decidiu reautuar o processo para readequar o pedido juridicamente. Fux ainda deverá decidir se o caso poderá ser analisado pelo plenário da Corte, por envolver assunto da Presidência da República.

Ontem (23), em parecer enviado ao STF, a Advocacia-Geral da União (AGU) pediu que o caso fosse analisado pelo plenário e ainda argumentou que o ato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que permitiu a permanência da Cesare Battisti é discricionário e pode ser revisto. De acordo com o parecer, ao julgar o caso pela primeira vez, em 2009, a Corte não se manifestou sobre a possibilidade de ato ser revisto por outro presidente.

O caso voltou à tona no início do mês, quando Battisti foi preso e indiciado pela Polícia Federal (PF) pelos crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Ele foi detido em Corumbá (MS), quando tentava atravessar a fronteira com a Bolívia com euros e dólares não declarados, mas ganhou o direito de aguardar o desfecho do processo em liberdade.

A defesa de Cesare Battisti sustenta que ele não pode ser expulso do país porque tem um filho brasileiro, fato que impediria a entrega à Itália, de acordo com a jurisprudência do STF.

Histórico

Battisti foi condenado na Itália à prisão perpétua por homicídio quando integrava o grupo Proletariados Armados pelo Comunismo. Ele chegou ao Brasil em 2004, onde foi preso três anos depois. O governo italiano pediu a extradição do ex-ativista, aceita pelo Supremo. Contudo, no último dia de seu mandato, em dezembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti deveria ficar no Brasil e o ato foi confirmado pelo STF.

A Corte entendeu que a última palavra no caso deveria ser do presidente, porque se tratava de um tema de soberania nacional. Preso desde 2007, Battisti foi solto da Penitenciária da Papuda, em Brasília, em 9 de junho de 2011. Em agosto do mesmo ano, o italiano obteve o visto de permanência do Conselho Nacional de Imigração.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MESMO CRIME
Dois são condenados em processo envolvendo filho de desembargadora
PARCERIA
Investimentos do Governo do Estado em Caracol chegam a R$ 9,2 milhões
EDUCAÇÃO
Grupo da UEMS promove encontro brincante de férias em janeiro
LOTERIA
Mega-Sena acumula mais uma vez e pode pagar prêmio de R$ 43,5 milhões
FRONTEIRA
Dois jovens morrem em colisão envolvendo moto e caminhonete
FUTEBOL
Real Madrid bate o Grêmio é campeão do Mundial de Clubes da Fifa
MELHORIAS
Sicredi entrega doação para reforma do Lar do Idoso de Dourados
PEDRO JUAN
Dois homens são executados em ataque de pistoleiros na fronteira
TEMPO
Domingo de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
UAUU
Paolla Oliveira enlouquece seguidores com foto de topless

Mais Lidas

2016
Polícia investiga possível homicídio em queda de avião no MS
HAYEL BON FAKER
Bilhete de pedágio “denuncia” e dupla é presa em Dourados após furto em Rio Brilhante
DOURADOS
Homem é preso após ser flagrado empurrando moto furtada
MANTIDO EM MS TAMBÉM
Governo mantém horário de verão para 2018, mas reduz tempo de duração