Menu
Busca segunda, 23 de julho de 2018
(67) 9860-3221

Sistema elétrico deve receber cerca de 10 mil megawatts no próximo ano

30 dezembro 2012 - 15h15

As perspectivas do setor elétrico brasileiro para 2013 são muito boas, segundo assegurou à Agência Brasil Maurício Tolmasquim, presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculada ao Ministério de Minas e Energia.

Conforme o dirigente, devem entrar no sistema elétrico nacional, durante o período, cerca de 10 mil megawatts (MW), englobando usinas hidrelétricas, eólicas (dos ventos) e térmicas, já leiloadas. “Vai ser um ano muito bom”.

No início de 2013, a EPE pretende fazer dois leilões de energia nova para contratação antecipada de energia, visando a garantir o atendimento da demanda para fornecimento entre três e cinco anos à frente, denominados, respectivamente, leilões A-3 e A-5. A empresa também estuda fazer, eventualmente, um leilão de reserva.

Tolmasquim acredita que, durante o próximo ano, serão leiloadas as usinas hidrelétricas de Sinop (MT) e São Manoel, situada entre Mato Grosso e o Pará. A usina de São Luiz do Tapajós (PA) poderá ficar para o início de 2014, segundo estimou.

Na medida em que a expansão e a modicidade tarifária já estão “devidamente equacionadas”, os economistas do Grupo de Estudos do Setor Elétrico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Gesel/UFRJ) acreditam que os maiores desafios para 2013 “estão na órbita do sistema elétrico e do seu planejamento”.

O coordenador do Gesel, professor Nivalde de Castro, disse à Agência Brasil que a avaliação se baseia em dois fatos. “O primeiro é que a construção de novas hidrelétricas está tendo que diminuir ao máximo o volume dos reservatórios [chamadas usinas de fio d’água], passando a exigir a construção de usinas térmicas, exigência esta que se fará mais presente com o aumento da contratação de plantas eólicas [que geram energia a partir dos ventos]”.

O segundo desafio, salientou Castro, é a revisão dos procedimentos de planejamento das linhas de transmissão, “pois há um descompasso crescente entre a construção de plantas geradoras e de linhas de transmissão”. Segundo ele, o planejamento das linhas de transmissão “está muito passivo e vem sendo determinado após a realização dos leilões de geração”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

APRENDIZADO
Grupo ABV realiza 1º Mini Chef Abevê em Nova Andradina
SECURA EM MS
Baixa umidade do ar requer cuidados especiais
CAPACITAÇÃO
Centro de Inovação do Sesi inicia pesquisas sobre gestão em SST
VIOLÊNCIA
Brasileira é executada na frente do filho na fronteira
LAMA ASFÁLTICA
Defesa pede liberdade de André e diz que "estranha" sua prisão
BRASIL
Veja os candidatos a presidente definidos nas convenções partidárias
LEGISLATIVO
Câmara de Dourados retoma sessões nesta segunda-feira
PARA PAGAR DÍVIDA
Mato-grossense é presa com maconha e skunk na rodoviária de Dourados
GAFE
Marcio Garcia se confunde e fala nome de programa da Record na Globo
POLÍTICA
Cármen Lúcia assume Presidência da República pela 4ª vez

Mais Lidas

PARAGUAI
Polícia recupera caminhonete roubada de vereador de Dourados
DOURADOS
Poste derrubado após roubo de veículos continua caído na Marcelino Pires
DOURADOS
GM apreende pasta base de cocaína na rodoviária de Dourados
ESTRELA DO LESTE
Homem morre após ser esfaqueado em Dourados