Menu
Busca segunda, 10 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221

Sheilla e Arthur Zanetti vencem Prêmio Brasil Olímpico

19 dezembro 2012 - 09h15

Eles valem ouro - e agora podem se orgulhar de ser os melhores atletas olímpicos do Brasil em 2012. Sheilla, oposto da seleção brasileira de vôlei feminino, e o ginasta Arthur Zanetti foram os vencedores, nesta terça-feira, do Prêmio Brasil Olímpico, em votação promovida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), pela internet. Ambos foram medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres.

Sheilla foi a principal craque da equipe, com destaque especialmente na virada sobre a Rússia, nas quartas de final, quando evitou seis match-points da equipe adversária. Ela concorreu com Sarah Menezes, medalha de ouro no judô, e Yane Marques, bronze no pentatlo moderno.

- Estou muito feliz de ter ganho esse prêmio. Gostaria de compartilhar com todas as jogadoras que estiveram comigo dentro de quadra, pois o vôlei é um esporte coletivo. Quero dedicar o prêmio a minha avó - disse Sheilla.

Arthur Zanetti fez história. Vencedor nas argolas, foi o primeiro brasileiro a ganhar um ouro olímpico na ginástica artística. No Prêmio Brasil Olímpico, superou o nadador Thiago Pereira e o boxeador Esquiva Falcão.

- Quero agradecer aos meus familiares e à minha equipe, pois sem eles não teria sido possível chegar lá. Agradeço também aos meus patrocinadores - afirmou Zanetti, cuja diferença de altura para Sheilla - 1,56m e 1,85m - chamou a atenção no palco.

A noite de festa no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro, já foi voltada aos Jogos Olímpicos de 2016, na Cidade Maravilhosa, mas também celebrou o passado, com homenagem a Hortência, que se emocionou ao receber o prêmio Adhemar Ferreira da Silva.

###A cerimônia
A cerimônia começou com imagens de Londres, resgatando a participação brasileira nos Jogos de 2012. Em seguida, parte dos mais recentes medalhistas foi ao palco para acompanhar o hino nacional. Emanuel, do vôlei de praia, dono de três medalhas olímpicas, representou os colegas e homenageou a judoca Sarah Menezes, ouro na categoria até 48kg. Ele acompanhou a conquista dela na Vila Olímpica. E se emocionou.

- É uma honra representar esses campeões. Todos fizeram seu papel muito bem feito. Homenagem, para mim, é finalizar esse processo olímpico. Tudo para mim é um começo. Sabemos as dificuldades de se preparar para uma Olimpíada. (...) Acompanhei a luta da nossa grande Sarah. Em cinco minutos, ela me fez esquecer que eu era um atleta olímpico e lembrei que era um brasileiro. Tirei essa armadura de atleta. Ela me motivou a fazer meu melhor. Temos que dar exemplos positivos. Fiquei emocionado com sua medalha, Sarah. Muito obrigado – disse o jogador.

O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro e do Comitê Organizador do Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, saudou os atletas antes de a cerimônia dar destaque a uma encenação que serve de passagem de ciclo olímpico de Londres para o Brasil. O músico Pedro Luiz cantou “E vamos à luta”, de Gonzaguinha. Em seguida, foram ao palco os atletas destacados como melhores do ano em cada modalidade – anunciados por cidadãos brasileiros de variadas áreas de atuação.

Ganharam destaque dois treinadores responsáveis por conquistas expressivas do esporte brasileiro em 2012: José Roberto Guimarães, campeão com a seleção feminina de vôlei, e Marcos Goto, que fez a preparação de Arhur Zanetti. Eles foram eleitos os melhores técnicos do ano. Goto recebeu o troféu das mãos de seu pupilo, e Zé Roberto ganhou a homenagem de Sheilla.

Lembrança a Nelson Prudêncio e homenagem a Hortência

A festividade lembrou a recente perda de Nelson Prudêncio, que morreu no mês passado, aos 68 anos. O triplista foi medalha de prata nos Jogos Olímpico de 1968, na Cidade do México. Ele foi o primeiro a receber o prêmio Adhemar Ferreira da Silva, homenagem que nesta terça-feira, pelo conjunto da obra, foi oferecida a Hortência.

A rainha do basquete brasileiro se emocionou ao receber o prêmio. Ela chorou e, ao falar, se direcionou aos filhos, presentes na cerimônia.

- Fazia muito tempo que eu não sentia essa emoção. Já tinha esquecido. Meus filhos, que estão aqui, não me viram jogar, infelizmente, mas viram a mãe deles receber um prêmio tão importante. Para chegar até aqui, é preciso ralar muito - disse Hortência.

A noite terminou com uma apresentação da cantora Sandra de Sá. Ela cantou "Do Leme ao Pontal", música de Tim Maia em homenagem ao Rio de Janeiro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TV
Travando batalha contra o câncer, Ana Furtado não comparece no É de Casa e entrega: “É uma despedida”
CARACOL
Pecuarista vai ter que pagar R$ 13,8 mil por desmatamento ilegal de 46 hectares de vegetação
CAMPO GRANDE
Motorista é preso por embriaguez e passageiro por quebrar janela de prédio público
POLÍTICA
Comissão se reúne na segunda para discutir e votar parecer sobre unificação das polícias
BANDEIRANTES
Veículo desgovernado invade canteiro de obras e mata trabalhador na BR-163
CONGRESSO
CPI dos Maus-tratos encerra trabalhos com propostas polêmicas
RORAIMA
Intervenção deverá valer a partir de amanhã até 31 de dezembro
Interventor prepara plano de ação a ser apresentado a Temer
CORUMBÁ
Mulher descobre traição e acaba agredida a pauladas pelo marido
SAÚDE
"Revolução sexual” contra impotência faz 20 anos em 2018
Médicos celebram disponibilidade de remédios para tratar disfunção
CAPITAL
Homem tem o carro incendiado após enteado pegar veículo sem autorização

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Idosa é espancada, esfaqueada e vai parar na UTI após assalto em Dourados
DOURADOS
Dupla é presa por tráfico de drogas na Vila Mariana
DOURADOS
Por força judicial, terceira sessão para definir Mesa Diretora da Câmara é cancelada
INVESTIGAÇÃO
Brasileira desaparecida na Austrália é encontrada morta em praia