Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2019
(67) 9860-3221

Setor de energia perde 18% em valor de mercado em 4 meses, diz estudo

11 janeiro 2013 - 18h55

O valor de mercado de 34 empresas de capital aberto brasileiras do setor de energia elétrica teve queda de 18,03% (R$ 37,23 bilhões) do dia 6 de setembro de 2012, quando o governo anunciou a redução das tarifas de energia em 2013, até o dia 10 de janeiro. O valor passou de R$ 206,40 bilhões para R$ 169,17 bilhões. O levantamento é da consultoria Economatica e foi divulgado nesta sexta-feira (11).

A empresa com a maior queda nominal de valor de mercado nesse período é a Cemig. Em setembro, o valor de mercado da companhia era de R$ 28,42 bilhões e, em 10 de janeiro, de R$ 18,56 bilhões - recuo de 34,67%.

De acordo com a Economatica, a empresa com a maior queda percentual no mesmo período é a Eletrobras. O valor de mercado da empresa foi de R$ 19,22 bilhões para R$ 9,90 bilhões em janeiro, queda de 48,46%.

Das 34 empresas analisadas, 10 delas têm valor de mercado inferior ao seu patrimônio liquido. "A Eletrobras é a empresa que tem a menor relação, o valor de mercado da empresa em 10 de janeiro de 2012 é de R$ 9,90 bilhões contra patrimônio liquido de R$ 79,58 bilhões", disse a Economatica, em nota.

Plano

A presidente Dilma Rousseff afirmou em 6 de setembro que, a partir do início de 2013, a conta de energia elétrica teria redução média de 16,2% para o consumidor doméstico e de até 28% para a indústria.

O anúncio foi feito em pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão dedicado ao Dia da Independência, celebrado nesta quinta, 7 de setembro.

Atualmente, os reservatórios de hidrelétricas têm registrado baixos níveis, o que poderia comprometer a distribuição de energia e afetar o plano de redução. No entanto, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quarta-feira (9) que não há risco de um novo racionamento e que o país tem um “estoque firme” de energia (quanta energia pode ser gerada com os recursos atuais) para sustentar o consumo nos próximos meses.

O ministro garantiu ainda que o corte de 20,2% nas contas de luz, que entra em vigor em 4 de fevereiro, está garantido, e que não há risco de desabastecimento da indústria por conta do uso do gás na geração de energia pelas usinas térmicas.

"Essa redução acontecerá, a partir do próximo mês, como está prevista", afirmou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Prévia da inflação oficial é de 0,35% em maio
DOURADOS
MP quer que prefeitura deixe de usar dinheiro da Cosip para outras ações
BRASIL
Governo autoriza nomeação de aprovados em concurso da Polícia Federal
MODA
Ideias descoladas para vestir moletom já
DOURADOS
Após tentativa de fuga, quatro são presos por tráfico
FRIO
Sexta amanhece gelada com termômetros ‘batendo’ 12°C em Dourados
LÍDER DIGITAL
Dourados News marcou presença e levou informação durante a 55ª Expoagro
VILA CACHOEIRINHA
“Boca” é fechada, mulher é presa e diz traficar pelo baixo valor do salário mínimo
TRÁFICO
Motorhome com destino a São Paulo é apreendido com mais de 4 toneladas de maconha
TEATRO
Sucata Cultural apresenta “Assim como as raízes são rasas e profundas”

Mais Lidas

DOURADOS
Preso em operação estava sob monitoramento por assalto
DOURADOS
Vereadora vai à delegacia e diz ser vítima de atentado
DOURADOS
Ciclista atropelado na Marcelino morre após meses de tratamento
DOURADOS
Preso é encontrado morto na PED em mesmo raio onde ocorreu pente-fino
Rapaz estava enforcado em uma das celas da unidade penal