Menu
Busca terça, 11 de agosto de 2020
(67) 99659-5905

Sentença baseada em prova falsa pode ser rescindida

24 maio 2011 - 13h23

A sentença de mérito, transitada em julgado, pode ser rescindida quando estiver fundada em prova falsa — apurada em processo criminal, ou seja, provada na própria ação rescisória. Com esse entendimento, a 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça negou recurso de dois comerciantes e manteve decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que anulou a posse de um imóvel.

O ministro Sanseverino entendeu como correta a conclusão do TJ-MT “no sentido da possibilidade do reconhecimento da falsidade da perícia com base na prova produzida na instrução da própria ação rescisória”. Isso porque, o artigo 485, inciso VI, do Código de Processo Civil, prevê a possibilidade de rescindir a sentença de mérito, uma vez que, a prova falsa tenha sido investigada no processo ou na Ação Rescisória.

De acordo com os autos, um agropecuarista de Mato Grosso havia proposto Ação Rescisória contra dois comerciantes para suspender os efeitos do acórdão proferido em ação de manutenção de posse. Segundo ele, a decisão baseou-se em prova falsa, consubstanciada na “mentirosa afirmação do perito” de que teria se fundado em informações obtidas com moradores da região da área em litígio.

O TJ-MT julgou a Ação Rescisória procedente, pois constatou que a decisão fundamentou-se principalmente em prova falsa – falsidade comprovada por declarações prestadas em juízo pelos moradores, ratificando que nunca foram procurados pelo perito e desconhecem a presença dele na área em questão.

No Recurso Especial, os comerciantes alegaram violação ao artigo 485, inciso VI, do CPC, pois o acórdão rescindendo não se baseou exclusivamente na perícia e, ainda que se admitisse que os vizinhos não tinham sido entrevistados pelo perito, tal fato não poderia afastar as outras provas constantes dos autos que levaram à confirmação da sentença pelo acórdão.

Apontaram outras quatro violações, mas o relator, ministro Paulo de Tarso Sanseverino, não as conheceu (não examinou a questão de direito) por não terem sido apreciadas pelo acórdão recorrido, incidindo a Súmula 282 do STF. A decisão foi unânime.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INTERNACIONAL
Rússia anuncia primeira vacina contra a covid-19
EDUCAÇÃO
UNIP POLO DOURADOS-MS
REGIÃO
Detran-MS alerta sobre prazos que estão suspensos por conta da pandemia
INFORME PUBLICITÁRIO
Tijolos Dalfort: A cada milheiro produzido, 2,5 mil garrafas de vidro são retiradas do meio ambiente
COVID-19
Queda nos casos ativos não significa "imunidade de rebanho" em Dourados, alerta pesquisador
FRONTEIRA
Morre em Dourados homem baleado com 18 tiros no Paraguai
CORONAVÍRUS
Brasil tem uma das piores taxas de mortes por milhão pela Covid-19
PONTA PORÃ
Jovem é preso com veículo abarrotado de cigarros contrabandeados
DOURADOS
Temperatura sobe quase 20ºC e umidade do ar despenca 58% em menos de 10h
PANDEMIA
Consumo de combustíveis cai 40% em Dourados; gasolina e etanol são os mais afetados

Mais Lidas

REGIÃO
Professora morre ao ter moto atingida por carro
DOURADOS
Suspeito de atropelar motociclista durante racha na BR-163 se apresenta à polícia
DOURADOS
Acidente entre carro e moto deixa homem em estado gravíssimo
FRONTEIRA
Ex-lutador de MMA é executado a tiros em confraternização