Menu
Busca sábado, 24 de agosto de 2019
(67) 9860-3221

Royalties: Assomasul quer campanha “Sancione Dilma” nas redes sociais

28 novembro 2012 - 12h42

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Jocelito Krug (PMDB), quer o envolvimento de toda população, por meio das redes sociais, na campanha institucional “Sancione Dilma” em favor da distribuição dos royalties entre os estados e municípios não produtores de petróleo.

O dirigente refere-se ao Projeto de Lei 2565/11 aprovado pelo Senado e pela Câmara dos Deputados que garante elevados repasses de recursos à Mato Grosso do Sul.

Pelos cálculos da entidade, os municípios do Estado têm direito a R$ 80.572.246 a partir de 2013 caso a presidente Dilma sancione o projeto aprovado pelas duas casas legislativas.

“É importe nesse momento que a população se mobilize usando as redes sociais, como o Facebook e o Twitter, para se manifestar favorável a sanção presidencial, até porque isso significa mais recursos para investir em áreas prioritárias dos municípios”, aconselhou Jocelito Krug.

Krug advertiu que a campanha se faz necessária na tentativa de consolidar uma luta antiga do municipalismo em favor da proposta, sobretudo, contrapor à mobilização contrária a ideia, denominada “Veta Dilma”, encabeçada por parlamentares do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Além de sucessivas idas a Brasília, os prefeitos têm procurado conscientizar a sociedade por meio dos meios de comunicação e movimentos estratégicos em seus municípios favoráveis à sanção do projeto.

Fora a questão dos royalties do petróleo, os gestores públicos lutam por compensação financeira no fim do ano para cobrir as perdas decorrentes da queda do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) devido à isenção que o governo federal concedeu à indústria automobilística na venda de carro zero KM e na comercialização de produtos da chamada linha branca.

É que a concessão do incentivo fiscal acabou reduzindo à receita do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) que compõe o FPM juntamente com o IR (Imposto de Renda), afetando a transferência de recursos às prefeituras brasileiras no momento do fechamento das contas públicas.

Em Campo Grande, a Assomasul afixou faixas na entrada de sua sede com os dizeres “Sanciona Dilma” e “Royalties para todos e restituição das perdas do FPM”.

###PARTILHA
Os royalties de petróleo são os valores em dinheiro pagos pelas empresas produtoras aos governos para ter direito à exploração. A distribuição desses valores entre os estados e municípios brasileiros deve mudar a partir de janeiro do ano que vem, com a aprovação do projeto na Câmara dos Deputados, no último dia 6.

Pelo projeto aprovado, estados produtores, como Rio de Janeiro e Espírito Santo, perdem dinheiro. A parcela cai dos atuais 26% para 20% já a partir de 2013. Os municípios que produzem petróleo e hoje ficam com 26% dos royalties, passariam a receber 15% no ano que vem e 4%, em 2020.

Já a parcela de cidades não produtoras passaria de 1,75% para 21% a partir de janeiro. A parcela dos estados não produtores saltaria de 7% para 21%.
Por causa disso, o governo do Rio estima uma perda de mais de R$ 3,4 bilhões no próximo ano, e de R$ 77 bilhões até 2020. Investimentos para a Copa do Mundo e as Olimpíadas ficariam comprometidos.


Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Fani Pacheco ousa em ensaio e faz post reflexivo: "Não perca seu Norte"
CAMPO GRANDE
Homem é preso após fazer gestante refém e ameaçar policiais
FUTEBOL DE BASE
Semifinais do Estadual Sub-17 começam neste fim de semana
NOVA ANDRADINA
Cinco são presos pela PM durante ações ostensivas
CLIMA
Especialista diz que MS terá chuva significativa apenas em setembro
CRIME AMBIENTAL
Usina é multada em mais de R$ 270 mil por incêndio em canavial
PREVENÇÃO
Sala integrada para controle e combate de incêndios é criada em MS
BRASIL
Encceja: candidatos com dificuldade de acesso podem ligar para 0800
BRASILEIRÃO
Bahia bate Galo em Minas na abertura da 16ª rodada
MOVIMENTO
Manifestantes vão à Praça Antônio João em ato contra queimadas

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher tem dedo amputado após empilhadeira a atingir enquanto fazia compras
DOURADOS
VÍDEO: Guarda agride rapaz em abordagem na UPA e corregedoria abre inquérito para apuração
VALE QUANTO?
Peritos imobiliários avaliam Douradão para venda ou aluguel a pedido da prefeitura
VIOLÊNCIA
Bandidos encapuzados invadem casa no Santo André e agridem idoso a coronhadas