Menu
Busca sexta, 05 de junho de 2020
(67) 99659-5905
LEILÃO

Rodada de licitação da ANP rende R$ 8,9 bilhões em bônus de assinatura

10 outubro 2019 - 11h35Por Agência Brasil

A 16ª Rodada de Licitações da ANP arrecadou, hoje (10), R$ 8,915 bilhões em bônus de assinatura. Foram arrematados 12 dos 36 blocos oferecidos para exploração e produção de petróleo e gás natural em regime de concessão, sendo dez na Bacia de Campos. Ao todo, dez empresas diferentes compuseram as propostas vencedoras.

O ágio acumulado com as propostas apresentadas foi de 322% para o bônus de assinatura e de 390% para as unidades de trabalho do programa exploratório mínimo. Os contratos, que serão assinados em fevereiro de 2020, devem gerar um investimento de R$ 1,5 bilhão.

Considerados de elevado potencial, os blocos na Bacia de Campos atraíram consórcios e disputa de ofertas em alguns casos. Ao todo, dez dos 13 blocos da bacia foram arrematados.

Para o bloco C-M-541, com bônus de assinatura mínimo de mais de R$ 1,3 bilhão, um consórcio liderado pela Total e pela QPI e outro liderado pela Petrobras ofereceram mais de R$ 4 bilhões de bônus de assinatura.

Apesar do bônus oferecido por Petrobras e Equinor terem sido quase R$ 60 milhões maior, a Total, a QPI e a Petronas incluíram mil unidades de trabalho a mais no Programa Exploratório Mínimo (PEM) e arremataram o bloco.

Com a disputa, o primeiro setor da Bacia de Campos, o SC-AP4, arrecadou R$ 6,788 bilhões em bônus de assinatura, um valor 331% maior que o bônus de assinatura mínimo, diferença chamada de ágio.

No segundo setor leiloado na Bacia de Campos, o SC-AUP3, a disputa foi pelo bloco C-M-661, arrematado por um lance de R$ 1,115 bilhão oferecido pela Petronas, única empresa inscrita no leilão que ainda não tinha contratos para exploração e produção no Brasil. A proposta garantiu um ágio de 545,37% no setor.

O terceiro setor leiloado na Bacia de Campos, o SC-AUP4 também teve disputa por um dos blocos, e o consórcio entre a Shell, Chevron e QPI venceu oferecendo R$ 550 milhões de bônus de assinatura e 206 unidades de trabalho. Com ágio de 310%, o setor arrecadou quase R$ 600 milhões em bônus de assinatura.

Apesar de também ser considerada de elevado potencial, a Bacia de Santos teve lances por apenas dois dos 11 blocos arrematados. O ágio com os lances apresentados foi de 74,4%

As bacias de Camamu-Almada e Jacuípe, cujo leilão foi questionado pelo Ministério Público Federal na Bahia, não receberam propostas. Somadas, elas tinham sete blocos em uma área considerada de nova fronteira, onde há menos atividade exploratória.

Também classificada como de nova fronteira, a Bacia de Pernambuco-Paraíba não recebeu ofertas pelos seus cinco blocos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÁFICO
Polícia ‘estoura’ boca de fumo e prende traficante em Dourados
DOURADOS
Menor que apontou arma na cabeça de motoboy para roubar veículo é apreendido
DOURADOS
Polícia descobre central que abastecia “bocas de fumo” e prende traficante
PANDEMIA
Em dia que confirma nova morte, MS se aproxima de 2 mil casos de coronavírus
PANDEMIA
Comitê realinha números com Estado e confirma 446 casos de Covid-19 em Dourados
MATO GROSSO DO SUL
Subsecretaria das Mulheres alerta sobre importância de denunciar crimes de violência sexual
DOURADOS
Toque de recolher segue estendido até taxa de isolamento melhorar
CASSEMS
Usina fotovoltaica vai abastecer rede hospitalar em julho
CONTRABANDO
Abordagens terminam com quase meio milhão de maços de cigarros apreendidos
EDUCAÇÃO
Prazo de coleta de dados do Censo da Educação Superior termina hoje

Mais Lidas

PANDEMIA
Em disparada, casos de Covid-19 tem novo recorde diário e passam de 400 em Dourados
EPICENTRO
Casos de coronavírus "explodem" e Dourados registra recorde de confirmações
PANDEMIA
Comitê aponta surtos de coronavírus em dois pontos de Dourados
DOURADOS
Conselho aponta riscos de contaminação em massa por coronavírus no HV