Menu
Busca sexta, 21 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221
BRASIL

Relatório sobre denúncia contra Temer deve ser votado daqui a 2 semanas na CCJ

05 outubro 2017 - 15h35Por Agência Brasil

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara divulgou há pouco os procedimentos de tramitação da denúncia apresentada contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência da República).

A primeira reunião do colegiado, na qual deve ser lido o parecer do relator Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), foi convocada para a próxima terça-feira (10).

A CCJ recebeu ontem (4) as peças de defesa dos três acusados. A partir de agora, a comissão tem até cinco sessões para analisar e votar o parecer que está sendo elaborado por Andrada. O relatório deve apresentar um voto favorável ou não pelo prosseguimento da denúncia na Justiça.


A leitura do relatório foi marcada para as 10h de terça-feira. Após a apresentação do parecer, cada advogado terá direito de se manifestar oralmente pelo mesmo tempo utilizado pelo relator. Em seguida, haverá ainda a possibilidade de deputados apresentarem pedido de vista por duas sessões. Se assim ocorrer, a primeira reunião de discussão e votação do parecer de Andrada está prevista para o dia 17 de outubro.

Todos os 66 membros do colegiado e líderes partidários poderão se manifestar por até 15 minutos. Além disso, 40 deputados não membros da CCJ (20 favoráveis e 20 contrários à denúncia) poderão se inscrever para falar por até 10 minutos.

Encerrada a fase de debate, o relatório de Andrada será submetido à votação nominal por maioria simples. Se o parecer foi rejeitado, o presidente da Comissão deverá designar outro deputado que apresente relatório diferente. O novo parecer também será lido e votado pelos membros do colegiado.

Se aprovado, seguirá para apreciação do plenário, onde há a necessidade dos votos de pelo menos dois terços do total de 513 parlamentares para que a investigação da denúncia pelo Supremo Tribunal Federal (STF) seja autorizada.

É a segunda denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Temer. O advogado Eduardo Carnelós, que assumiu a defesa do presidente Geral da República (PGR), divulgou nota ontem criticando a atuação do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot. No texto, o advogado classifica a denúncia de "indecência".

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Associações pedem que Reinaldo revogue aumento do ICMS da gasolina
CAMPO GRANDE
Mulher é presa após xingar idoso e bater na vizinha com mangueira
BATAYPORÃ
Chuva de 90 milímetros coloca cidade de MS em situação de emergência
FOLGA
Bolsonaro passa o carnaval em unidade do Exército no Guarujá
CAPITAL
Major da PM que matou ex-namorado foi agredida e ficou em cárcere
ECONOMIA
Projeto Maracujá Agroecológico começa a dar resultado a produtores
PONTA PORÃ
Homem tenta agarrar atendente e é preso por importunação sexual
EDUCAÇÃO
UEMS publica terceira Chamada da Lista de Espera do Sisu
COXIM
Investigado por estuprar crianças, idoso usava presentes para atrair vítimas
FUTEBOL
MP libera estádio de Maracaju, mas com limite de até mil torcedores

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher ameaça se jogar de torre no Jardim Guaicurus
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018
DOURADOS
Fechamento e promoções levam multidão a fazer fila em hipermercado
DOURADOS
Polícia vai ao Guaicurus e prende condenado por pedofilia