Menu
Busca segunda, 10 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221

Quase metade das crianças vive em domicílios onde falta pelo menos um serviço de saneamento

28 novembro 2012 - 15h30

Em 2011, 48,5% das pessoas até 14 anos de idade (21,9 milhões) residiam em domicílios em que pelo menos um serviço de saneamento (água, esgoto ou lixo) era inadequado. O dado faz parte da Síntese de Indicadores Sociais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados hoje (28).

Cerca de 4,8 milhões de crianças (10,7%) viviam em casas em que mais de um desses serviços eram inadequados, sendo que 17,2% delas eram da Região Nordeste e 3,7%, da Sudeste. Segundo o IBGE, a maior parte da população até 14 anos de idade faz parte de famílias com menor poder aquisitivo: 60,8% vivem com rendas até meio salário mínimo.

A pesquisa chama a atenção ainda para o déficit de creches no país, sobretudo, para as crianças da camada mais pobre e as mães que precisam trabalhar e/ou estudar, mas não têm com quem deixar os filhos. Entre as mulheres com filhos até 3 anos de idade cujos filhos frequentam creche, 71,7% estavam ocupadas em 2011. No mesmo período, apenas 21% das crianças até 3 anos tinham acesso à creche.

De acordo com o conselheiro do Movimento Todos pela Educação, Mozart Neves Ramos, a primeira etapa da educação básica é determinante para o desenvolvimento dessas crianças. Ele informou que o custo per capita da fase pré-escolar é o mais alto entre todas as etapas da educação, mas que o retorno compensa.

“A meta número 1 do Plano Nacional de Educação é ampliar o acesso às creches, mas o Brasil evoluiu muito pouco em relação à demanda. A meta estabelecida era chegar a 50% em 2010 e o desafio é tão grande que a meta foi mantida para 2020.”

O estudo ressalta ainda que a fecundidade costuma atrasar e, em muitos casos, interromper o processo de escolarização da mulher e que deve haver políticas públicas para dar suporte às mães que não desejam parar de frequentar a escola ou que pretendem estudar ou trabalhar.

Entre as crianças brasileiras de 4 e 5 anos de idade, a taxa de escolarização é melhor do que entre as crianças mais novas. Em 2011, quase 77,4% das crianças nessa faixa etária frequentavam a escola, enquanto em 2001 esse percentual era 55,4%. Entretanto, a média brasileira ainda está baixo da dos países-membros da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), que é 90%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANTONIO JOÃO
Pai nega levar filho para comprar bebida e é morto com soco na cabeça
IMPRENSA
Sindicato dos Jornalistas da Grande Dourados completa 29 anos de luta
CORUMBÁ
Homem perde perna e braço após ser atropelado por trem
DOCUMENTO
Carteira de Motorista com chip é adiada para o final de 2022
EDUCAÇÃO
Inscrições para o Vestibular indígena Teko Arandu começam nesta segunda
FACILIDADE
Pedidos de indenização do DPVAT podem ser feitos por smartphone
BRASIL
Em diplomação, Bolsonaro pede confiança daqueles que não votaram nele
POLÍCIA
Dados da Sejusp apontam redução da criminalidade em MS neste ano
ECONOMIA
Dólar fecha em alta e sobe a R$ 3,92, com temores de desaceleração global
DINHEIRO PÚBLICO
Decreto torna mais rígida a tramitação de processos de licitação em Dourados

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Idosa é espancada, esfaqueada e vai parar na UTI após assalto em Dourados
DOURADOS
Criança morre no HV três dias após ser atropelada na Cachoeirinha
DOURADOS
Dupla é presa por tráfico de drogas na Vila Mariana
INVESTIGAÇÃO
Brasileira desaparecida na Austrália é encontrada morta em praia