Menu
Busca segunda, 15 de outubro de 2018
(67) 9860-3221
CONGRESSO

Projeto que acaba com "saidinha" de presos pode ser votado na semana

07 novembro 2017 - 08h03Por Agência Câmara

Os líderes partidários da Câmara dos Deputados decidiram na segunda-feira (6) dedicar a semana a projetos na área de segurança pública. Entre eles estão o fim da saída temporária de presos (PL 388/15); penas mais rígidas para assassinos de policiais (PL 8504/17); o fim do auto de resistência para obrigar investigação de mortes em confrontos com policiais (PL 4471/12); tornar crime o uso de pessoas como escudo humano (PL 8048/17); bloqueio de telefonia celular nos presídios (PL 5062/16); e fim de atenuante de pena para menores de 21 anos e maiores de 70 anos (PL 1383/15).

Na noite de ontem, foi aprovado o regime de urgência para o Projeto de Lei 5062/16. De autoria do deputado Cabo Sabino (PR-CE), a proposta caracteriza como infração gravíssima a não instalação, pelas prestadoras de serviços de telefonia celular, de bloqueadores de sinais em áreas próximas a estabelecimentos penais.

A votação da urgência das demais propostas será realizada nesta terça-feira (7). Já a votação do mérito dos projetos poderá ocorrer entre terça e quinta-feira (9). Nesse período, deve haver sessão do Plenário das 11h às 21h30. Também está prevista sessão na sexta-feira (10), até as 15h, para votação de acordos internacionais e outros itens.

Rito para MPs

Os deputados também chegaram a acordo para discutir outros temas no decorrer da semana, caso da proposta de emenda à Constituição que altera o rito de tramitação das medidas provisórias (PEC 70/11).

O texto acaba com a análise obrigatória por comissão mista, determina a discussão das MPs por comissões na Câmara e no Senado, mas permite que a medida provisória seja votada diretamente no Plenário se esgotado o prazo para discussão no colegiado. Hoje, a MP só vai a voto em Plenário depois de aprovada pela comissão mista, independentemente do prazo.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, defende a análise da proposta e já disse que não colocará em votação medidas provisórias enquanto a PEC não for aprovada. Votada a PEC 70, os deputados poderão discutir a MP 786/17, para financiar a elaboração de estudos técnicos que viabilizem concessões e parcerias público-privadas.

Congresso Nacional

Está prevista para quarta-feira (8) sessão do Congresso Nacional para análise de vetos e de projetos de lei que liberam créditos orçamentários. Entre os itens polêmicos está o fim do limite de doações de pessoas físicas a candidatos, veto de Temer ao projeto de reforma política que criou o fundo de financiamento de campanhas eleitorais (PL 8612/17).

Parlamentares também já declararam posição contrária aos vetos feitos à MP 770/17, que prorroga o prazo para utilização do Regime Especial de Tributação para Desenvolvimento da Atividade de Exibição Cinematográfica (Recine).

Deixe seu Comentário

Leia Também

ELEIÇÕES 2018
Deputados federais eleitos em MS gastaram de R$ 0,02 a R$ 33 por voto
ELEIÇÕES 2018
Bolsonaro afirma que vai resgatar o respeito em sala de aula
GERAL
Ganhadora de carro 0km do Grupo ABV é de Dourados
DOURADOS
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia será nas aldeias Bororó e Jaguapiru
RURAL
MS inicia outubro com quase 90% da safra 2017/18 de soja comercializada
DOURADOS
Família busca notícias de mulher que abandonou carro e embarcou na rodoviária
EDUCAÇÃO
Último dia de pagamento da taxa de inscrição de concurso público do IFMS
DIA DO PROFESSOR
Brasil tem mais de 2,5 milhões de professores
FRONTEIRA
Motociclista morre atropelado ao tentar ultrapassar carreta pela direita
JARDIM MONTE LÍBANO
Policiais douradenses são presos por assalto a família

Mais Lidas

DOURADOS
Ciclista sofre atropelamento e fica em estado gravíssimo
DOURADOS
Traficante que atuava com “disk drogas” é preso
TRAGÉDIA
Douradense morre em acidente no RS
DOURADOS
Dois são presos por promover festa para menores de idade “regada” com bebida alcoólica