Menu
Busca terça, 20 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
POLÍTICA

Projeto de lei para combater a escalada dos preços de energia elétrica no Brasil será lançado

10 junho 2015 - 16h15

Da Redação

Conforme dados da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), o preço de longo prazo pago pelos consumidores no mercado livre é 20% menor do valor pago pelos clientes das distribuidoras. Até o fim de 2015, as tarifas médias de energia elétrica vão subir 40% segundo cálculos do próprio ministério das Minas e Energia. Estudo da consultoria especializada Dcide revela que o Ambiente de Comercialização Livre pratica R$ 210,21 por Megawatt-hora (MWh), enquanto que, no mercado cativo, a tarifa média de energia é de R$ 270,30, uma diferença de 22% entre as duas contas.

Assegurar os benefícios do mercado livre de energia para todos os consumidores brasileiros, assim como já é realidade na União Europeia, é a principal bandeira do projeto de lei a ser lançado na próxima quinta-feira, dia 11 de junho, no Salão Nobre da Câmara Federal, para combater a escalada dos preços de eletricidade no País, sobretudo aos consumidores residenciais.

O projeto é lançado pela recém-criada Frente Parlamentar Mista em Defesa das Energias Renováveis, Eficiência Energética e Portabilidade da Conta de Luz do
Congresso Nacional e prevê a liberdade de escolha aos consumidores brasileiros de seu próprio fornecedor de energia.

Trata-se da portabilidade da conta de luz, que separa o negócio de fio, exclusivo das distribuidoras (25% do custo), da compra de energia (75% do custo). A previsão dos parlamentares e de especialistas no setor elétrico é de que haja uma significativa redução do preço da energia aos consumidores finais e o aumento da eficiência das empresas que atuam no segmento.

Pela atual regulamentação, apenas os grandes consumidores de energia (indústrias e comércio) podem comprar energia no chamado mercado livre. A regra diz que apenas empresas que possuem um consumo médio acima de 500 quilowatts (um shopping, por exemplo) podem escolher seu fornecedor.

A Portabilidade da Conta de Luz, assim como já existe no setor de telefonia celular, é um direito do cidadão brasileiro. Não existe nenhuma limitação técnica ou econômica para que a iniciativa não tenha imediata aprovação e implantação, com redução drástica nos custos da energia para os consumidores. Um benefício adicional da proposta é a redução do impacto das tarifas de energia nos índices de inflação. Hoje, o preço dos megawatts são um dos principais fatores a impulsionar a espiral inflacionária da economia brasileira.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Mulher vai a casa do ex e encontra corpo em avançado estado de decomposição
CAMPO GRANDE
Homem encontrado morto é ex-superintendente do governo Puccinelli
NOVO GOVERNO
Após Tereza Cristina na Agricultura, Bolsonaro confirma Mandetta para Ministério da Saúde
ITAPORÃ
Jovem encontrado sob mangueira foi morto com um tiro na cabeça
EDUCAÇÃO
IFMS inicia atendimento presencial para certificação do ensino médio
SAÚDE
‘Cassems Itinerante’ leva atendimento a três cidades no próximo fim de semana
CAPACITAÇÃO
IEL inicia curso sobre uso das redes sociais na vida profissional
CIRCUITO BRASILEIRO
Etapa open do Volêi 2018/2019 terá três atletas de MS na disputa
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
Mulher é presa após ameaçar a mãe idosa
CORUMBÁ
PF desarticula esquema de facilitação de entrada de estrangeiros no Brasil

Mais Lidas

DOURADOS
Antes de ser assassinado, homem passou por ‘tribunal do crime’
DOIS MESES DEPOIS
Acusados de matar rapaz em Dourados serão apresentados hoje
BORORÓ
Adolescente morre ao tocar em cerca elétrica em Dourados
MARCELO PILOTO
Traficante brasileiro é expulso do Paraguai após matar mulher em cela