Menu
Busca sexta, 22 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
EDUCAÇÃO

Professores do Paraná encerram greve de 49 dias letivos

09 junho 2015 - 14h30

Professores e servidores da rede estadual de ensino do Paraná decidiram, hoje (9), encerrar a greve que - somadas as duas paralisações recentes - já durava 49 dias letivos. A decisão foi aprovada durante assembleia que, segundo o Sindicato dos Professores do Paraná (APP-Sindicato), reuniu cerca de 12 mil trabalhadores no Estádio da Vila Capanema.

“Pela educação pública, em respeito aos nossos estudantes, dizemos aos paranaenses que a greve está encerrada. A luta continua no chão de nossas escolas”, anunciou o sindicato em uma rede social – na qual muitas pessoas que se identificam como professores lamentaram a decisão.

“Não acredito que vou conseguir voltar [à sala de aula] de cabeça erguida, mas sim envergonhado. Poderíamos ter feito mais", comentou um internauta. “Agora teremos que trabalhar aos sábados, por uma luta perdida”, disse outra pessoa insatisfeita. O sindicato respondeu que cerca de 70% dos presentes à assembleia votaram pelo retorno ao trabalho, que a vontade da maioria deve ser respeitada e que a categoria deve continuar unida.

A categoria aceitou a última proposta apresentada pelo governo estadual e receberá 3,45% de reajuste a partir de outubro. Na mesma rede social que utilizou para anunciar o fim da greve, o sindicato dos professores reconhece que o percentual concedido é inferior aos 8,17% de aumento que a categoria reivindicava, mas lembra que os dias parados não vão ser descontados do pagamento dos professores que, em contrapartida, terão que repor as aulas perdidas.

Em janeiro de 2016, os servidores devem receber novo aumento, com a inflação acumulada em 2015, mais um ponto percentual. A mesma medida deve ser tomada em janeiro de 2017.

De acordo com a Agência Brasil, também não serão abertos processos administrativos contra os diretores de escola que entregarem os relatórios mensais de frequência dos professores e funcionários e nenhum professor temporário será demitido por ter aderido à greve.

Com o fim da greve, iniciada em 25 de abril, cerca de um milhão de alunos matriculados em cerca de 2,1 mil escolas que estavam sem aula poderão retornar às escolas amanhã (10). A secretaria estadual já adiantou que os 200 dias letivos e as 800 horas-aula exigidas pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB) serão cumpridos conforme um calendário de reposição das aulas que ainda vai ser elaborado e terá que ser homologado pelos Núcleos Regionais de Educação (NREs).

Ainda de acordo com o site, além da duração, a paralisação dos profissionais foi marcada pelo excesso policial ao impedir que grevistas e manifestantes se aproximassem da Assembleia Legislativa do Paraná, no dia 29 de maio. Pelo menos 170 manifestantes, na maioria professores, ficaram feridos na ação policial.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Bruna Griphao deixa tanquinho à mostra durante passeio na cachoeira
RORAIMA
Venezuela fecha fronteira com o Brasil no horário determinado por Maduro
BR-060
Perseguição acaba com 3 presos e caminhonete com maconha apreendida
REPASSES
Ministro do STF dá mais um ano para Congresso regulamentar a Lei Kandir
CAPITAL
PM encontra saco com 78 quilos de maconha em terreno baldio
MEIO AMBIENTE
Duas jibóias e uma jararaca foram capturadas nesta quinta na Capital
UFGD
Trote do Bem aumenta o número de doadores de medula óssea
APOSENTADO
Sargento da PM pega 4 anos de prisão por matar mulher a tiros
DOURADOS
Guarda Mirim abre turma e recebe título de Utilidade Pública Estadual
MEC
Instituições federais de ensino de MS recebem R$ 2,61 milhões

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher que encomendou morte de marido é transferida para presídio
OPORTUNIDADE
Prorrogadas inscrições em processo seletivo para contratação de Assistentes de Atividades Educacionais
JARDIM PIRATININGA
Recém-nascida é encontrada sob tanque de lavar roupas em Dourados
DOURADOS
Investigado por estupro de enteadas, homem é preso com pornografia infantil no celular