Menu
Busca terça, 19 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221

Polícia prende 12 por fraude de combustível

02 junho 2011 - 15h49

Polícia Civil no Rio estima que o grupo preso, nesta quinta-feira (2), suspeito de adulterar combustíveis e sonegar impostos tenha gerado um prejuízo de R$ 120 milhões aos cofres públicos. Segundo a delegada Izabela Santoni, da Delegacia Fazendária, a quadrilha agia em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, no Rio, em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio, Minas Gerais e Distrito Federal.
Cerca de 150 agentes de diferentes delegacias especializadas participam da operação batizada “Cana dura”, que tem como objetivo cumprir 14 mandados de prisão expedidos pela Justiça e 24 de busca e apreensão.
A delegada informou que 12 pessoas já foram presas. Um outro homem, que não tinha mandado de prisão expedido, foi preso em flagrante por portar ilegalmente uma escopeta calibre 12. Os agentes também apreenderam munições. A investigação para chegar aos suspeitos levou dois anos.
Apartamento na Barra por apenas R$ 50 mil.

A delegada explicou que o valor exato do que foi fraudado só será revelado após análises de documentos recolhidos nesta quinta. A quadrilha mantinha empresas de fachadas e em nome de “laranjas”.

A rápida evolução patrimonial de alguns integrantes do grupo também despertou a atenção dos investigadores. Izabela Santoni explica que um dos alvos da operação declarou ter pago R$ 50 mil em um imóvel de luxo na Barra da Tijuca, na Zona Oeste da cidade. Segundo a polícia, o apartamento está avaliado em R$ 1,5 milhão.

A polícia informou ainda que os presos vão responder, entre outros crimes, por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Um posto de gasolina foi lacrado em Campos dos Goytacazes, sob suspeita de vender gasolina aditivada, quando o produto era gasolina comum.

Fiscais da Agência Nacional de Petróloeo (ANP) percorrem vários postos de gasolina nas cidades investigadas, para identificar se o produto vendido está adulterado.

“Essa quadrilha também busca o enriquecimento ilícito não só com a sonegação fiscal, mas também com a mistura de combustíveis em detrimento da segurança do cidadão, em vista que eles misturam metanol, um combustível altamente tóxico, com etanol”, disse a delegada

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Mariana Rios renova o bronza em cenário de tirar o fôlego no Rio
POLÍCIA
Dupla é presa dinheiro e documentos falsos no aeroporto da Capital
BRASIL
Senado aprova projeto que proíbe casamento de menores de 16 anos
JUSTIÇA
Fabricantes de laticínios devem pagar R$ 18 mil por calote em conta de luz
TRÁFICO
Trio é preso com mais de meia tonelada de cocaína
COXIM
Idosa de 80 anos é agredida a pauladas por jovem que invadiu casa
ESPORTE
Funed conclui elaboração de calendário anual de atividades esportivas
APOSENTADORIA
Bolsonaro fará pronunciamento na TV para defender reforma da Previdência
PROJETO
UFGD seleciona shows musicais para o projeto Celebração 2019
CAMPO GRANDE
Júri é suspenso após advogada chorar e ameaçar suicídio

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Motociclista atropela, mata criança de 1 ano em Dourados e foge do local
DOURADOS
Motorista tenta desviar de outro veículo e bate carro em árvore
NOVA ANDRADINA
Mãe de 16 anos mata filha de apenas 21 dias
DOURADOS
Um ano após pedido de demissão, ex-secretário de Délia retorna à prefeitura