Menu
Busca segunda, 24 de setembro de 2018
(67) 9860-3221

Polícia prende 12 por fraude de combustível

02 junho 2011 - 15h49

Polícia Civil no Rio estima que o grupo preso, nesta quinta-feira (2), suspeito de adulterar combustíveis e sonegar impostos tenha gerado um prejuízo de R$ 120 milhões aos cofres públicos. Segundo a delegada Izabela Santoni, da Delegacia Fazendária, a quadrilha agia em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, no Rio, em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio, Minas Gerais e Distrito Federal.
Cerca de 150 agentes de diferentes delegacias especializadas participam da operação batizada “Cana dura”, que tem como objetivo cumprir 14 mandados de prisão expedidos pela Justiça e 24 de busca e apreensão.
A delegada informou que 12 pessoas já foram presas. Um outro homem, que não tinha mandado de prisão expedido, foi preso em flagrante por portar ilegalmente uma escopeta calibre 12. Os agentes também apreenderam munições. A investigação para chegar aos suspeitos levou dois anos.
Apartamento na Barra por apenas R$ 50 mil.

A delegada explicou que o valor exato do que foi fraudado só será revelado após análises de documentos recolhidos nesta quinta. A quadrilha mantinha empresas de fachadas e em nome de “laranjas”.

A rápida evolução patrimonial de alguns integrantes do grupo também despertou a atenção dos investigadores. Izabela Santoni explica que um dos alvos da operação declarou ter pago R$ 50 mil em um imóvel de luxo na Barra da Tijuca, na Zona Oeste da cidade. Segundo a polícia, o apartamento está avaliado em R$ 1,5 milhão.

A polícia informou ainda que os presos vão responder, entre outros crimes, por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Um posto de gasolina foi lacrado em Campos dos Goytacazes, sob suspeita de vender gasolina aditivada, quando o produto era gasolina comum.

Fiscais da Agência Nacional de Petróloeo (ANP) percorrem vários postos de gasolina nas cidades investigadas, para identificar se o produto vendido está adulterado.

“Essa quadrilha também busca o enriquecimento ilícito não só com a sonegação fiscal, mas também com a mistura de combustíveis em detrimento da segurança do cidadão, em vista que eles misturam metanol, um combustível altamente tóxico, com etanol”, disse a delegada

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZ
Paola Antonini: "minha autoestima melhorou depois que perdi a perna"
PESQUISA
Ibope: governo Azambuja é aprovado por 46% e reprovado por 17%
CAPITAL
Homem é preso após invadir residência com carro de luxo furtado
EM ALTA
Barril do petróleo passa de US$ 81 e fecha no maior valor em 4 anos
TRÊS LAGOAS
Homem foge após lançar droga e 14 celulares para dentro de presídio
UEMS
EscolaGov promove curso de Licitação e Contratos em Dourados
EDUCAÇÃO
‘Infâncias, Docência e Educação Infantil’ é tema de Seminário na UFGD
AQUIDAUANA
Homem é preso após invadir casa e abusar de menina de 12 anos
BOATOS
Manuela d'Ávila é ameaçada nas redes sociais após fake news
IMPROBIDADE
Ex-servidor do TJMS é acusado de receber dinheiro para intervir em ação

Mais Lidas

DOURADOS
Amiga de jovem encontrada morta é presa acusada por tráfico e por alterar a cena do crime
TEMPORAL
Chuva e ventos fortes derrubam árvores em Dourados
DOURADOS
Adolescente é encontrado baleado na rua e morre no HV
POLÍCIA
Presos em Dourados são transferidos para capital