Menu
Busca segunda, 25 de março de 2019
(67) 9860-3221

Obama nega que Brasil e outros emergentes ameacem as grandes potências

25 maio 2011 - 16h51

Em Londres, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, negou hoje (25) em discurso que as grandes potências temam o crescimento econômico do Brasil, da China e da Índia.

Obama disse que este crescimento cria novos mercados e oportunidades, sem ameaças à liderança existente no mundo. Segundo ele, Estados Unidos e Reino Unido não estão em decadência e servem como exemplos para os emergentes. O Brasil foi citado em dois momentos no discurso.

"Países como a China, o Brasil e a Índia estão crescendo rapidamente, criando oportunidades e mercados para as nossas nações. Também conseguiram tirar muitos da pobreza. Estas nações crescem porque se baseiam em princípios de mercado que os Estados Unidos e o Reino Unido sempre defenderam”, afirmou o presidente norte-americano no Parlamento Britânico, no segundo dia de visita à capital inglesa.

Em resposta aos que temem o crescimento dos emergentes, Obama tentou afastar o medo. “Há quem acredite que tal crescimento virá junto com a decadência inevitável da influência de nossos países no mundo. Há quem diga que essas nações são o futuro e nós, o passado, mas isso está errado. Esse argumento está errado. O tempo para a nossa liderança é agora", disse.

“As ameaças e os desafios exigem das nações que trabalhem em conjunto umas com as outras. Nós [norte-americanos e britânicos] continuamos a ser o maior catalisador para a ação global”, disse ele.

Obama ressaltou que os esforços globais devem priorizar a melhoria das expectativas de vida para “milhões que estão privados de direitos humanos básicos”. Segundo ele, o caminho ideal para alcançar essas pessoas é o do livre comércio. "Foi o que levou à Revolução Industrial, que começou nas fábricas de Manchester [no Reino Unido] e se estenderam para o resto do mundo estabelecendo uma nova ordem mundial”, ressaltou.

O presidente norte-americano acrescentou que a economia reflete a atuação dos Estados Unidos. “Vivemos em uma economia global que é, em grande parte, de nossa própria fabricação. Hoje, a competição pelos melhores empregos e indústrias favorece os países que são livres pensadores e progressistas, países que estimulam a criatividade, a inovação e o empreendedorismo”, disse ele.

Segundo Obama, os governos dos Estados Unidos e do Reino Unido são parceiros na promoção da paz, da justiça e da prosperidade no mundo. De acordo com ele, a liberdade e a dignidade humana são os valores que regem as políticas dos dois países.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Homem é preso após ser flagrado com arma dentro de carro
DOURADOS
Após brigar com a mulher, motorista bêbado invade e destrói oficina na Monte Alegre
CAMAPUÃ
MP pede afastamento de vice-prefeita por improbidade administrativa
DOURADOS
Marçal intervém e CCR anuncia que fará obra no Trevo do DOF
ESTADUAL
Corumbaense e Serc vencem rivais e revertem vantagem
TELEVISÃO
Carolina, Elana e Paula formam o décimo Paredão do BBB19
CAMPO GRANDE
Promotor de bailes em clube é preso acusado de estuprar neta da esposa
APOSENTADORIA
CCJ da Câmara começa a analisar reforma da Previdência esta semana
FUTEBOL
Sete vence o Costa Rica fora de casa e aumenta vantagem por vaga na semi
PONTA PORÃ
Homem em caminhonete é executado a tiros na região de fronteira

Mais Lidas

TRÂNSITO
Homem morre após ser atropelado por motorista que fugiu do local do acidente
RIO BRILHANTE
Homem é assassinado após matar e comer galo do vizinho
CAMPO GRANDE
Sequestro termina com suspeito morto em troca de tiros com a polícia
DOURADOS
Mulher é presa tentando entrar na PED com drogas escondidas na vagina