Menu
Busca quarta, 20 de junho de 2018
(67) 9860-3221
ARTIGO

O duelo entre mentira e a verdade

O duelo entre mentira e a verdade

27 setembro 2017 - 19h35Por Dirceu Cardoso

Quem conta uma mentira terá de inventar outras sete para sustentar a primeira. O dito popular que se ouve há décadas é cada dia mais presente no Brasil em crise. Os brasileiros restam estarrecidos diante das narrativas sobre roubalheiras e outras irregularidades cometidas por políticos, administradores, empresários e atravessadores. Pior é que tais comportamentos são justificados como necessários para a manutenção do processo eleitoral e de outros esquemas sociais e administrativos que deveriam ter vida e sustento próprios. O resultado é o descrédito generalizado e cada dia maior, impedindo a sociedade de evoluir e, queiram ou não, potencializando a insegurança em todos os sentidos.

Só nesses últimos dias a população é bombardeada pela nova denúncia contra o presidente da República (acusado de obstrução à Justiça e participação em organização criminosa), novo afastamento e privação de liberdade do senador Aécio Neves, revelações do ex-ministro Antonio Palocci em sua ruidosa saída do PT, entre outras coisas. O cruzamento de informações dos processos levou o ex-presidente Lula a apresentar recibos que citam 31 de junho e de novembro, datas inexistentes em nosso calendário gregoriano, e nos enseja a especular sobre o que dirão o ex-deputado Rocha Loures e o ex-ministro Geddel Vieria Lima para justificar a mala dos 500 mil encontrada com o primeiro e os R$ 51 milhões localizados no apartamento do segundo. Dirão a verdade ou mentirão?

Não é difícil também imaginar o que deve passar pela cabeça de Lula ao negar tantas coisas de que é acusado e a atribuir outras à sua defunta mulher, Marisa Letícia. Até onde as narrativas – tanto do ex-presidente quanto de outros envolvidos – resistirão ao cruzamento de informações? Até onde terão imaginação suficiente para, se contarem a mentira inicial, inventar as outras que se encaixem para acobertá-la? Isso também vale para o presidente Michel Temer e os ministros acusados que, mesmo se safando enquanto têm foro privilegiado, deverão ser questionados sobre as denúncias depois de saírem no governo, a 31 de dezembro de 2018. Se prevalecer o que disseram Joesley Batista e Ricardo Saud, os delatores da JBF hoje presos, que implicam mais de 1800 políticos de todos os níveis e quadrantes do país, teremos muitos anos de processos pela frente. Os próprios empresários delatores e outros que tiverem o que revelar, precisam se precaver para também não caírem na torrente das mentiras de sustentação das inverdades iniciais.

Nunca na história deste país tivemos um período de tamanho confronto entre a verdade e a mentira. Pior que hoje os confrontados são os altos escalões nacionais e ainda poderão rolar pela mesma ribanceira os estaduais e até os municipais. Pobre Brasil, precisa encontrar o caminho da verdade e definir a mentira e o embuste exclusivamente como coisas  de um passado infeliz. Por mais grave que seja, a verdade tem de prevalecer, até como mecanismo para depurar o meio e dar a oportunidade a renovação ética, moral e política que tanto necessitamos...
 
Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br                                                  

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Dólar fecha em alta, de olho no exterior e à espera de decisão do Copom
BRASIL
STF valida delações premiadas negociadas pela Polícia Federal
ORDEM DO DIA
Aprovada atualização de lei sobre devolução de troco em espécie
PRIVACIDADE VIRTUAL
Europa sugere lei que pode acabar com os memes da internet
COPA DO MUNDO
Espanha vence com “gol estranho” de brasileiro
EDUCAÇÃO
Vagas do ProUni estão disponíveis para consulta
SAÚDE
Mortes por gripe em MS voltam a aumentar e chegam a 20
MIRANDA
Caminhoneiro é multado e tem veículo apreendido com carga de madeira ilegal
TRÁFICO
Caminhão com 3t de maconha é encontrado abandonado em MS
CAMPO GRANDE
Presidente do TRE diz que cheque de R$ 165 mil era para “segurar” veículo

Mais Lidas

COMPLICAÇÃO APÓS CIRURGIA
Juiz aposentado e ex-diretor da Agepen, Ailton Stropa, morre em São Paulo
RESERVA INDÍGENA
Homem é flagrado nu sobre menina de 7 anos em Dourados
DOURADOS
Dupla é presa por tentativa de homicídio contra vendedor de espetinhos
DEFRON
Traficante condenado a mais de 12 anos é preso em Dourados