Menu
Busca Domingo, 21 de Janeiro de 2018
(67) 9860-3221
Escola Sesc - Janeiro 2018

Novo salário mínimo, de R$ 678, entra em vigor nesta terça-feira

01 Janeiro 2013 - 08h39

O novo salário mínimo, de R$ 678, entra em vigor nesta terça-feira, dia 1º de janeiro. O salário, que em 2012 estava em R$ 622, foi reajustado pelo governo em 9%.

O reajuste foi anunciado pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffman, no dia 24 de dezembro, véspera de Natal. O novo mínimo deverá ter um impacto anual de R$ 12,3 bilhões sobre as contas da Previdência.

O impacto sobre a Previdência ocorre porque os benefícios pagos aos trabalhadores, tanto previdenciários (como aposentadorias) quanto acidentários ou assistenciais, são atrelados ao salário mínimo. Em outubro, foram pagos pela Previdência quase 30 milhões de benefícios, cujo valor médio foi R$ 937.

Assim como os pagamentos, as contribuições atreladas ao salário mínimo também serão reajustadas. Empreendedores individuais e segurados facultativos de baixa renda, cuja contribuição é fixada em 5% do mínimo, passarão a pagar R$ 33,90. Até 2012, o valor era R$ 31,10.

A proposta de Orçamento para 2013, entregue no dia 17 pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), previa o salário mínimo em R$ 674,96 a partir de janeiro.

A proposta original do governo previa um mínimo de R$ 670,95, mas o valor foi reajustado de acordo com novos cálculos da inflação.
Isenção para PLR de até R$ 6.000

Na mesma medida provisória em que determinou o reajuste do salário mínimo, o governo também isentou do Imposto de Renda, a partir de 2013, valores de até R$ 6.000 recebidos por participação em lucros e resultados.

O impacto dessa isenção nos cofres públicos será de R$ 1,7 bilhão no ano.

Entre R$ 6.000,01 e R$ 9.000, a alíquota será 7,5%. Entre R$ 9.000,01 e R$ 12.000, a taxa será de 15%.

Nos ganhos entre R$ 12.000,01 e R$ 15.000, a alíquota será de 22,5%, e acima de R$ 15.000,01 o imposto será de 27,5%.

A isenção do IR sobre a PLR tinha sido anunciada em maio e, desde então, governo e centrais sindicais discutiam o tamanho dessa isenção.

O ministro Gilberto Carvalho, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, defendia isenção máxima de R$ 6.000. Por outro lado, representantes de centrais sindicais queriam, no mínimo, R$ 10 mil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CABUL
Ataque a hotel de luxo deixa 18 mortos na capital do Afeganistão
PONTA PORÃ
Homem é encontrado morto e com pés perfurados na fronteira
CONCURSOS
16 órgãos abrem inscrições nesta segunda para preencher 2,4 mil vagas
CAMPO GRANDE
Criança de 4 anos é encontrada sozinha em rua durante a madrugada
BRIGA DE TRIBUNAIS
Advogados vão ao STF para tentar impedir posse de Cristiane Brasil
EDUCAÇÃO
Rematrículas para os acadêmicos da UEMS começam nesta segunda-feira
DOURADOS
Casal é assaltado ao ser surpreendido por dupla em motocicleta
EDUCAÇÃO
Prefeita Délia destaca atendimento às escolas do campo na sua gestão
PONTA PORÃ
Veículo furtado no centro de Dourados capota na BR-463
POLÍTICA
Se não se reelegerem 23 senadores investigados na Lava Jato ficam sem foro

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é rendido por bandidos, levado para mata e tem Amarok roubada
Homem é rendido por bandidos, levado para mata e tem Amarok roubada
CAMPO GRANDE
Adolescente de 14 anos é morto em casa de shows
Adolescente de 14 anos é morto em casa de shows
MAIS UM CASO
Drone é abatido na Penitenciária Estadual de Dourados
Drone é abatido na Penitenciária Estadual de Dourados
DOURADOS
Mulher é derrubada de moto junto a filha em roubo
Mulher é derrubada de moto junto a filha em roubo