Menu
Busca Sábado, 20 de Janeiro de 2018
(67) 9860-3221
Bigolin

'Não tem mais o que fazer', diz Dilma sobre votação de veto dos royalties

13 Dezembro 2012 - 15h30

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (13) na Rússia que "não tem mais o que fazer" para impedir que o Congresso derrube seu veto às mudanças na divisão dos royalties do petróleo. Para a presidente, o Congresso é autônomo e poderá tomar a decisão que quiser.

Em sessão tumultuada, o plenário do Congresso aprovou na tarde desta quarta-feira (12) o regime de urgência para a apreciação do veto ao artigo 3º da Lei dos Royalties, feito por Dilma.

"Eu já fiz todos os pleitos. O maior é vetar. Não tem mais o que fazer. Não tem nenhum gesto meu mais forte do que o veto. O resto seria impossível. Eu não vou impedir que ninguém vote de acordo com a sua consciência. Que todos votem de acordo com a sua consciência”, afirmou.

"Nós vivemos numa democracia em que existem o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. O Poder Legislativo é autônomo, independente e tem todas as condições de decidir contra a minha decisão", disse.

No entanto, a presidente voltou a defender o veto às mudanças que prejudicariam os Estados produtores em contratos que já estão em vigor.

"Eu acredito que minha decisão foi justa diante da legislação. A legislação diz claramente que não pode descumprir contratos. Tomei (a decisão) baseada nisso. A segunda parte na distribuição plena dos ganhos do petróleo para todos os brasileiros de todos os estados", disse.

A presidente disse que a medida provisória que destina ao setor da educação100% dos royalties recolhidos em futuros contratos de produção de petróleo sob o regime de concessão é "importantíssima".

"Tem uma questão importantíssima na minha medida provisória, além dessa discussão sobre a repartição federativa. Acho muito importante que tenhamos um compromisso com a educação no Brasil. Vamos ser um país desenvolvido plenamente quando tivermos uma educação de qualidade para todos. O recurso do petróleo é finito, portanto, tudo o que ganharmos com o petróleo temos de deixar a riqueza mais permanente, que é a educação que cada um carrega", disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
SP tem 3 mortes por reação à vacina da febre amarela; casos da doença somam 81
SP tem 3 mortes por reação à vacina da febre amarela; casos da doença somam 81
MAIS UM CASO
Drone é abatido na Penitenciária Estadual de Dourados
Drone é abatido na Penitenciária Estadual de Dourados
MS
Governo assina acordo que prevê estágio aos alunos de Medicina da UFMS de Três Lagoas
Governo assina acordo que prevê estágio aos alunos de Medicina da UFMS de Três Lagoas
DECISÃO
STJ libera posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho
AÇÃO
Turismo de Mato Grosso do Sul apresenta na Espanha mais uma etapa da campanha Visit MS
INTERNACIONAL
China afirma que navio de guerra dos EUA 'violou' sua soberania
China afirma que navio de guerra dos EUA 'violou' sua soberania
INTERNACIONAL
Morre o chef Paul Bocuse, considerado 'papa' da gastronomia francesa
Morre o chef Paul Bocuse, considerado 'papa' da gastronomia francesa
MS
Bombeiros de Corumbá viajam 3 horas de barco para socorrer jovem no Pantanal
Bombeiros de Corumbá viajam 3 horas de barco para socorrer jovem no Pantanal
CAPITAL
Homem é preso por estuprar enteada de 7 anos
Homem é preso por estuprar enteada de 7 anos
POLÍTICA
Regras mais transparentes para partidos serão analisadas pela CCJ
Regras mais transparentes para partidos serão analisadas pela CCJ

Mais Lidas

Homem é executado com 12 tiros de pistola 9 milímetros
DOURADOS
Homem é rendido por bandidos, levado para mata e tem Amarok roubada
Homem é rendido por bandidos, levado para mata e tem Amarok roubada
DROGAS
Douradense é preso durante “Operação Tagi” desenvolvida pelo GAECO
GUERRA DE FACÇÕES
Justiça determina prisão de 11 envolvidos em morte brutal e liga crime ao PCC
Justiça determina prisão de 11 envolvidos em morte brutal e liga crime ao PCC