Menu
Busca sábado, 23 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
GUERRA AO MOSQUITO

MS terá recurso extra do governo federal para combater o Aedes

30 setembro 2017 - 08h45Por Da Redação

O Ministério da Saúde liberou, neste mês de setembro, R$ 856,8 mil para 79 municípios do estado de Mato Grosso do Sul, referentes à segunda parcela de recurso adicional para o combate ao mosquito Aedes aegypti.

Para todo o país, a pasta liberou R$ 30,4 milhões. Serão beneficiados 3.148 municípios em 20 estados e o Distrito Federal porque cumpriram critérios para intensificar as medidas de prevenção e combate ao mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya.

 

Em janeiro de 2017, o Ministério da Saúde repassou R$ 91,2 milhões aos municípios de todos os estados, referentes à primeira parcela.

Já o envio da segunda parcela foi condicionado ao cumprimento de alguns critérios, especialmente a realização do Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), no caso de cidades com mais de dois mil imóveis. Os municípios com menos de dois mil imóveis devem fazer o Levantamento de Índice Amostral (LIA) e o monitoramento por ovitrampa ou larvitrampa nas cidades sem infestação do mosquito. Também estão previstas metodologias alternativas, utilizadas pelas vigilâncias locais para monitorar o nível de infestação do mosquito Aedes.

 

DENGUE – Em 2017, até 02 de setembro, foram notificados 219.040 casos prováveis de dengue em todo o país, uma redução de 84,8% em relação ao mesmo período de 2016 (1.442.208). Com relação ao número de óbitos, também houve queda significativa (87%), reduzindo de 678 óbitos em 2016 para 88 em 2017. 

CHIKUNGUNYA – Até 02 de setembro, foram registrados 171.930 casos prováveis de febre chikungunya, o que representa uma taxa de incidência de 83,4 casos para cada 100 mil habitantes. A redução é de 34,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 261.645 casos. 

A região Nordeste foi a que apresentou o maior número de casos prováveis (130.910 casos; 76,1% em relação ao total do país). Em seguida aparecem as regiões Sudeste (22.789 casos; 13,2%), Norte (14.888 casos; 8,6%), Centro-Oeste (3.081 casos; 1,7%) e Sul (262 casos; 0,1%). Entre as Unidades da Federação (UFs), destacam-se Ceará (1.187,4 casos/100 mil hab.) e Roraima (673,2 casos/100 mil hab.)

 

ZIKA – Até 02 de setembro, foram registrados 15.586 casos prováveis de Zika em todo país, uma redução de 92,6% em relação a 2016 (211.487). A incidência reduziu 92,5%, passando de 102,6 em 2016 para 7,6 neste ano.

As regiões que apresentam maiores taxas de incidência são Centro-Oeste e Norte, com 35,9 casos/100 mil hab. e 13,9 casos/100 mil hab., respectivamente. Entre as UFs, destacam-se Tocantins (62 casos/100 mil hab.), Mato Grosso (59,4 casos/100 mil hab.) e Goiás (53,3 casos/100 mil hab.).

Em relação às gestantes, foram registrados 2.105 casos prováveis, sendo 728 confirmados por critério clínico-epidemiológico ou laboratorial.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Relatório aponta Marcelino Pires como a via mais violenta em 2018
SHOWBIZZ
Apenas de meia-calça, Juliana Paes celebra presença no carnaval: "melhor notícia"
FUTEBOL
Fifa tira Mundial Sub-17 do Peru, e Brasil vai sediar a competição
BELA VISTA
Policial perde controle da direção, viatura cai de ponte e pega fogo
COMBUSTÍVEIS
Preço da gasolina nas bombas cai pela 18ª semana seguida, diz ANP
MEIO AMBIENTE
PMA captura tamanduá-bandeira em quintal de residência em Coxim
EDUCAÇÃO
UFGD divulga os aprovados na 5ª chamada do Vestibular 2019
COXIM
Policial civil invade emissora de rádio e agride entrevistado
FISCO
Programa para receber declaração do IR estará disponível 2ª-feira
DOURADOS
Sindicalistas cobram salários para ex-empregados da Fertilizantes Heringer

Mais Lidas

DOURADOS
Trio é preso após tentar repetir furto em loja do shopping
SIDROLÂNDIA
Colisão entre motos termina com jovem morto
DOURADOS
Desconhecido pede água, invade residência e ameaça mulher de morte para furtar celular
CAMPO GRANDE
Interno é encontrado morto dentro de cela de presídio