Menu
Busca quarta, 23 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
LIMINAR

Ministra do STF suspende portaria do governo Temer sobre trabalho escravo

24 outubro 2017 - 12h20

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber suspendeu em decisão liminar (provisória) a portaria do Ministério do Trabalho que modificava regras de combate e fiscalização do trabalho escravo.

Weber acolheu o pedido do partido Rede Sustentabilidade, que pedia a anulação dos efeitos da portaria. O partido argumentou que houve desvio de poder na edição da medida. A liminar da ministra tem efeito até o julgamento do mérito da ação pelo plenário do tribunal.

A portaria, publicada no dia 16, alterou os conceitos que devem ser usados pelos fiscais para identificar um caso de trabalho forçado, degradante e em condição análoga à escravidão, além de exigir, por exemplo, que o fiscal apresente um boletim de ocorrência junto ao seu relatório.

A medida ainda determinou que para caracterização do trabalho escravo seja constatada a submissão do trabalhador a trabalho exigido sob ameaça de punição, com uso de coação, realizado de maneira involuntária.
Desde a publicação, o texto vem sendo alvo de críticas de entidades defensoras dos direitos dos trabalhadores, que alegam um afrouxamento nas regras para combate ao trabalho escravo. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que pediu ao Ministério do Trabalho para revogar a medida, chegou a classificar a portaria de "retrocesso".

Na ação, a Rede alegava que a portaria do Ministério do Trabalho restringia "indevidamente" o conceito de “redução à condição análoga a escravo” e condicionava a inclusão do nome de empregador na “lista suja” do trabalho escravo e a sua divulgação à decisão do ministro do Trabalho, o que , segundo o partido, introduziria "filtro político em questão de natureza estritamente técnica".

Em outro trecho, o partido alegava que a portaria do Ministério do Trabalho, "ao praticamente inviabilizar o combate ao trabalho escravo no país", descumpre os preceitos fundamentais da Constituição referentes à "dignidade da pessoa humana".

Deixe seu Comentário

Leia Também

CHAPADÃO DO SUL
Motociclista morre após ser atingido por carro e arremessado contra muro
ÓLEO
Senadores pedem declaração de emergência ambiental no Nordeste
AMAMBAI
Homem é suspeito de esfaquear a filha após ser denunciado por estuprá-la
PRAZO
Submissão de trabalhos para Jornada de Linguística vai até o dia 30
NOVA ALVORADA
Pastor evangélico é esfaqueado dentro de igreja após culto
EDUCAÇÃO
Enem para privados de liberdade registra mais de 40 mil inscritos
JUSTIÇA
Comparsa de homicídio de adolescente vai a júri nesta quarta-feira
SEU BOLSO
Aneel sobe tarifa da bandeira vermelha e reduz da amarela em Novembro
COXIM
Mãe é presa após estrangular filho de 3 anos com fio de energia
EMPREGO
Marinha abre inscrições para profissionais com ensino superior completo

Mais Lidas

HAYEL BON FAKER
Homens são presos fazendo sexo em via pública em Dourados
DOURADOS
Três são presos após ‘batida’ em ‘boca de fumo’ no Jardim Pantanal
DOURADOS
“Se não pagar vocês não vão dormir, não vão ter paz”, ameaçou professora indígena presa por extorsão
DOURADOS
Suspeito de extorsão em área de conflito, policial é levado ao Presídio Militar da capital