Menu
Busca quinta, 15 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
GOVERNO

Mercosul tem documento contra tráfico de pessoas e trabalho escravo

26 junho 2015 - 19h00

Agência Brasil

Ministros do Trabalho dos países do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela) assinaram hoje (26) uma declaração contra o tráfico de pessoas e o trabalho escravo. Eles também finalizaram uma proposta de declaração sociolaboral, que será submetida à apreciação dos chefes de Estado do Mercosul. O encontro ocorreu na sede do Ministério do Trabalho, em Brasília.

No documento, os ministros se comprometeram a impulsionar políticas regionais em matéria de prevenção, combate e reinserção das vítimas no mercado de trabalho. “Essas medidas congregam e refletem alguns dos principais desafios contemporâneos do mundo do trabalho, relacionados ao respeito aos direitos humanos e à garantia de condições dignas de vida dos nossos povos”, explicou o ministro brasileiro Manoel Dias. Também foram abordados temas como migração de trabalhadores, direitos trabalhistas, trabalho decente e igualdade de oportunidades, independentemente de raça, gênero ou deficiência. Os ministros aprovaram, ainda, a criação de um Plano Estratégico Mercosul de Emprego e Trabalho Decente.

“O Brasil tem muito que ajudar e colaborar na construção de políticas públicas do trabalho e emprego para o Mercosul”, disse Manoel Dias. “Foi um encontro positivo, porque [entre outros aspectos] a declaração sociolaboral vai ampliar cada vez mais a participação dos trabalhadores na construção de políticas públicas de trabalho e emprego no Mercosul”, acrescentou.

Segundo ele, a aprovação do documento facilitará a circulação de trabalhadores no Mercosul. “A livre circulação é fundamental, porque os trabalhadores não podem sofrer qualquer restrição na sua locomoção entre os países que constituem o Mercosul. Além disso, alguns avanços estendem a todos trabalhadores do Mercosul benefícios trabalhistas e previdenciários”, ressalvou.

A reunião contou com a participação dos ministros Júlio Rosales, da Argentina; Guilhermo Sosa Flores, do Paraguai; Ernesto Murro, do Uruguai; e Nestor Ovalles, da Venezuela; além de Manoel Dias. Estiveram presentes também representantes dos empregadores e trabalhadores. As propostas agora serão encaminhadas aos chefes de Estado de todos os países membros do bloco, a fim de serem assinadas em encontro previsto para o dia 17 de julho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA
Polícia rodoviária inicia ação nas estradas estaduais de MS durante o feriadão
VÔLEI DE PRAIA
Estrutura para circuito nacional começa a ser montada em MS
DOURADOS
Homem invade e rouba pet shop na Vila Industrial
ESPELHO DA VIDA
Cris sonha com Danilo e termina noivado com Alain
CAMPO GRANDE
Empresário é executado e filho fica ferido em atentado
BOA AÇÃO
Abevê entrega 2t de alimentos arrecadados na Corrida Rosa
ÑU VERA
Jovem é encontrado morto pendurado em árvore
DOURADOS
Dupla armada rouba moto para assaltar empresa e levar R$ 3 mil
SAÍDA DE CUBANOS
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
DOURADOS
Comércio fecha e shopping atende em horário especial nesta quinta

Mais Lidas

FRONTEIRA
Mulher é assassinada a tiros, quase um ano após execução do marido
DOURADOS
Polícia faz ação em ‘favelinha’ em busca de criminosos
FISCALIZAÇÃO
Ação contra comércio de pneus usados apreendeu produtos em lojas de Dourados e Campo Grande
ELDORADO
Vereador morre em acidente na rodovia BR-163 próximo a Itaquiraí