Menu
Busca domingo, 18 de fevereiro de 2018
(67) 9860-3221
POLÍTICA

Justiça proíbe sigilo na votação do Senado sobre afastamento de Aécio

14 outubro 2017 - 11h04Por G 1

A Justiça Federal em Brasília concedeu liminar (decisão provisória) na noite desta sexta-feira, dia 13 de outubro, proibindo o Senado de fazer votação sigilosa na sessão que vai decidir sobre o afastamento e recolhimento noturno do senador Aécio Neves (PSDB-MG). A decisão atende a uma ação popular movida pela União Nacional dos Juízes Federais. 

“Temo que efetivamente a adoção de votação sigilosa configuraria ato lesivo à moralidade administrativa, razão pela qual defiro a liminar para determinar que o Senado Federal se abstenha de adotar sigilo nas votações referentes à apreciação das medidas cautelares aplicadas ao Senador Aécio Neves”, afirmou o juiz Márcio Luiz Coelho de Freitas na decisão.

Aécio foi afastado do mandato parlamentar por determinação da Primeira Turma do Supremo. Com base nas delações de executivos da J&F, o senador afastado é acusado pela PGR de ter cometido os crimes de obstrução de Justiça e corrupção passiva. Aécio, porém, nega as acusações e se diz "vítima de armação".

O STF decidiu nesta semana que medidas cautelares que afetem o exercício do mandato de parlamentares devem passar por análise da Câmara e do Senado. A votação do caso de Aécio está marcada para terça-feira (17).

Para que as restrições sejam derrubadas, é preciso que a maioria absoluta do plenário, pelo menos 41 senadores, vote contra a decisão da Primeira Turma.

Autor da ação popular, o juiz Eduardo Luiz Cubas comemorou a liminar. “O Brasil necessariamente passa por uma crise de transparência. O Senado da República não pode, jamais, se esconder atrás do voto secreto.”

Nesta sexta (13), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou que iria acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) se o Senado decidir fazer votação secreta na análise da ordem de afastamento do mandato e recolhimento noturno imposta a Aécio.

“Para mim e o meu partido, não há dúvidas, a votação tem que ser aberta e, caso o contrário, o Senado insista de fazer voto secreto, eu ingressarei de imediato com mandado de segurança no Supremo para que a votação se processe como está na Constituição”, disse.

Caso Delcídio

A última vez que o Senado votou uma punição do STF contra um parlamentar foi no caso da prisão do ex-senador Delcidio do Amaral, em novembro de 2015.

Na época, o então presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), com o argumento de que seguiria o regimento do Casa, estabeleceu que a votação seria secreta. Mas, minutos depois, submeteu a decisão ao plenário, que optou pelo voto aberto.

No fim daquele mesmo dia, já com a decisão do Senado, o ministro Edson Fachin, do STF, determinou que a votação fosse aberta.

Nesta sexta, o líder do PMDB, Raimundo Lira (PB), disse que o partido não vai participar de manobras para que a votação seja fechada – o que poderia favorecer Aécio.

“O artigo 291 do regimento aprovado em 1970 definia que é secreta, mas a Constituição de 1988 foi muito clara: votação secreta exclusivamente para escolha de autoridades, portanto, eu entendo que essa questão é totalmente superada. Será aberta”, disse.

Entre alguns senadores há o sentimento de a situação de Aécio Neves, hoje, é mais delicada do que duas semanas atrás, quando o plenário se preparava para votar a derrubada das medidas cautelares, mas tirou o tema da pauta para esperar a decisão do Supremo sobre o caso.

A avaliação é que ao se arrastar, a crise em torno de Aécio desgasta o senador, o partido dele e o próprio Senado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS LAMENTÁVEIS
Gandula é espancado por jogador em clássico no Morenão
UAU
Alessandra Ambrosio posa linda de biquíni branco e evidencia corpão
POLÍTICA
Huck nega candidatura a presidente, mas diz que não sai de cena
NOVA ALVORADA
Colisão entre carreta bitrem e carro mata jovem de 20 anos na BR-267
JUSTIÇA
Amamsul divulga Nota sobre vale-transporte para magistrados
AMAMBAI
Mulher sai para pegar milho e morre a tiros em estrada vicinal
CONCURSOS
Ao menos 10 órgãos abrem as inscrições nesta segunda para 1,1 mil vagas
CORUMBÁ
Homem é preso acusado de estuprar vizinha de apenas seis anos
EDUCAÇÃO
Nota do Enem pode ser usada para ingresso em universidades portuguesas
DOURADOS
Polícia Civil registra dois assaltos praticados por dupla em moto

Mais Lidas

MARACAJU
Homem é assassinado brutalmente por adolescentes
SUL DE MS
Homem morre após fugir e capotar veículo carregado com maconha
CORONEL SAPUCAIA
Empresário é assassinado com sete tiros na região de fronteira
RESGATE
Casal é encontrado com vida após 10h de sequestro na Capital