Menu
Busca terça, 19 de novembro de 2019
(67) 9860-3221

Justiça aceita denúncia contra Ministro do Desenvolvimento

24 maio 2011 - 09h20

A Justiça de Minas Gerais aceitou ação civil pública contra Fernando Pimentel (PT) e mais nove réus por improbidade administrativa, segundo despacho divulgado nesta terça-feira (23). À época dos fatos citados no processo, o atual ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior disputava a reeleição para a prefeitura de Belo Horizonte.

A ação foi proposta pelo Ministério Público e decidida em caráter liminar pelo juiz da 4ª Vara de Feitos da Fazenda Pública Municipal de Belo Horizonte, Renato Luís Dresch. A decisão é em 1ª instância e cabe recurso.

Segundo o MP, as acusações são de dispensa indevida de processo licitatório para a contratação de obras de construção de habitações populares, desvio de recursos públicos, financiamento de campanha para prefeito municipal com recursos públicos, violação do princípio da publicidade e superfaturamento de obras. Foi determinada a indisponibilidade de bens até o valor aproximado de R$ 5,2 milhões de construtora que teria firmado contrato irregular.

De acordo com a assessoria de imprensa do Fórum Lafayette, a acusação oferecida busca a condenação dos réus por improbidade administrativa e o ressarcimento do patrimônio público. O Ministério Público pede também a anulação de convênio para a construção de casas populares.

As acusações foram rebatidas pelos dez acusados, de acordo com a Justiça. Na defesa prévia, as principais alegações foram a negativa de atos de improbidade administrativa, a limitação do direito de defesa e a prescrição do direito de ação. O juiz, ao analisar o processo, rejeitou a alegação de cerceamento de defesa já que não faltou oportunidade para os interessados se manifestarem. Ainda segundo a assessoria do TJMG, ele também rejeitou a prescrição tendo em vista que os réus que a alegaram ainda estavam dentro do prazo para serem alvos desse tipo de ação.

O ministro informou por intermédio da sua assessoria que não comentaria a decisão. Ele delegou ao atual procurador-geral do município, Marco Antônio de Rezende Teixeira, o papel de falar em seu nome. A reportagem tentou falar com Teixeira, mas ele não atendeu as ligações. Nesta manhã, a assessoria de Pimentel disse que será divulgada uma nota com as respostas do ministro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Rodrigo Maia anuncia pacote de medidas para combater a desigualdade
DOURADOS
UEMS oferece aulas gratuitas de Capoeira e Danças Populares
NAVIRAÍ
Motociclista de 26 anos morre após colisão com caminhão
ARTIGO
MP 905: Os ovos quebrados da política econômica
CAPITAL
‘Se eu não mostrar, vou morrer na mão dele’, diz mãe ameaçada pelo filho
BONITO
Emissão de RG, CNH, passaporte e titulo será debatida durante Congresso
ECONOMIA
Dólar fecha em queda após se aproximar de R$ 4,22
POLÍTICA
Jair Bolsonaro assina carta de desfiliação do PSL, diz advogado
JUSTIÇA
Mantida condenação de empresa aérea que extraviou mala de casal
ESPORTE
Estaduais de Voleibol chegam ao fim em Bonito

Mais Lidas

TRÂNSITO
Aos 84 anos, mulher sai de bailão bêbada e acaba presa após acidente em Dourados
FRONTEIRA
Alvo de pistoleiros, jovem fica ferido após ser atingido por disparos em frutaria
FRONTEIRA
Homem é executado com mais de 20 tiros e gestante baleada
ROCHEDO
"Velho do PCC" morre em confronto com o Choque