Menu
Busca sexta, 22 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
BRASIL

Impacto da violência contra crianças chega a US$ 7 trilhões ao ano, diz estudo

01 julho 2015 - 15h30

Agência Brasil

Os impactos econômicos globais e os custos resultantes das consequências da violência física, psicológica e sexual contra crianças pode chegar US$ 7 trilhões ao ano – valor mais alto que o investimento necessário para prevenir a maior parte desses atos. A conclusão é de um estudo divulgado hoje (1º) pela ChildFund Alliance durante seminário internacional em Brasília.

Os dados mostram que até 50% das agressões sexuais em todo o mundo são cometidas contra meninas menores de 16 anos, e a estimativa é de que 1,8 milhão de crianças estão sujeitas à exploração sexual e ao comércio de imagens de abuso infantil.

No caso da violência física e psicológica, os números indicam que mais de 275 milhões de crianças em todo o mundo estão expostas ao problema dentro de casa, embora as limitações de notificações signifiquem que milhões a mais possam ser afetadas.

Outra estimativa do estudo é de que 5,4% das crianças do mundo estejam envolvidas em algum tipo de trabalho considerado perigoso – um total de 85,3 milhões de crianças e jovens com idades entre 5 e 17 anos atuam em setores como mineração, construção civil e agricultura.

O documento destaca que os custos globais anuais das piores formas de trabalho infantil são de aproximadamente US$ 97 bilhões, e aqueles resultantes da associação de crianças com forças e grupos armados podem chegar a US$ 144 milhões todos os anos.

Para o representante da ChilFund Alliance, Felipe Cala, os resultados obtidos pela pesquisa mostram que a prevenção à violência contra crianças compensa, mas que os gastos atuais em ações preventivas e de resposta permanecem baixos. Ele alerta que esse tipo de violência pode comprometer a capacidade de aprender e se socializar, além de quadros permanentes de ansiedade e depressão.

“Poucos governos estabelecem fundos específicos para esse tipo de intervenção e muitos admitem falta de recurso”, disse. “É preciso lembrar que a violência é um obstáculo para o desenvolvimento econômico”, completou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PASSOU MAL
Atriz Fernanda Montenegro recebe alta de hospital no Rio
RIOS DE MS
Decreto é publicado e cota zero começa no ano que vem
DIVERSÃO
Jogos divertidos que melhor transitaram para o mundo virtual
DOURADOS
Pacientes ficam "reféns" de único mamógrafo no Centro de Atendimento à Mulher
PREVENÇÃO
Com distribuição de informativos e preservativos, SES reforça combate à aids durante carnaval
ESTADUAL
Sete e Operário de Dourados fazem clássico local no final de semana
MEDICINA
Chega ao Brasil uma nova vacina para meningite B
BRASIL
Confiança do consumidor recua 0,5 ponto em fevereiro
RIO DE JANEIRO
Belezas naturais e excelente gastronomia, conheça Nova Friburgo
SETE QUEDAS
Carro furtado é recuperado com mais de 300kg de maconha na MS-160

Mais Lidas

OPORTUNIDADE
Prorrogadas inscrições em processo seletivo para contratação de Assistentes de Atividades Educacionais
MAIS UM
Délia exonera secretário de Saúde e adjunta assume o posto
TURISMO
Deputado "mata" trabalho para passar nove dias em peregrinação
AMAMBAI
Homem mata a ex-mulher a facadas na frente dos sete filhos