Menu
Busca terça, 11 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221

Governo federal vota por renovar concessões da Eletrobras

03 dezembro 2012 - 16h30

O acionista majoritário da Eletrobras, o governo federal, votou pela renovação antecipada e condicionada das concessões da empresa federal de energia que venceriam entre 2015 e 2017, em assembleia dos acionistas nesta segunda-feira. Na prática, isso significa que a companhia renovará suas concessões nos termos propostos pela União.

O fundo norueguês Skagen, principal sócio minoritário da Eletrobras, votou contra a renovação em assembleia de acionistas nesta manhã. O encontro foi tumultuado, com uma série de minoritários alegando conflito de interesses no voto do governo federal.

O Conselho de Administração da Eletrobras tinha recomendado que os acionistas aprovassem a renovação antecipada das concessões da empresa, apesar da perda de receita anual de cerca de R$ 8,7 bilhões. Mas a renovação das concessões pela companhia já era esperada desde que a medida foi anunciada pela presidente Dilma Rousseff, em 11 de setembro, como parte do plano para reduzir a conta de luz no País, na média, em 20%, para aumentar a competitividade da indústria e estimular a economia.

Desde o anúncio das regras sobre a renovação das concessões as ações preferenciais da Eletrobras caíram quase 40% na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), até o fim de novembro. Neste pregão, às 10h54, os papéis preferenciais da empresa subiam 1,55%, a R$ 9,80. O Ibovespa tinha ganho de 1,4%.

Para lidar com a perda de receita, a Eletrobras cortará custos operacionais e terá que ser mais rigorosa no cálculo do retorno nos leilões de novos projetos de geração e transmissão de energia. A companhia e suas subsidiárias foram responsáveis pela viabilização de grandes projetos polêmicos do setor elétrico, como a hidrelétrica de Belo Monte (PA), em um momento em que investidores privados estavam mais cautelosos em investir.

A Eletrobras receberá indenização mínima de cerca de R$ 14 bilhões pelos investimentos não amortizados nos ativos de geração e transmissão com vencimento entre 2015 e 2017. O governo ainda não divulgou a totalidade dos valores a serem recebidos pela renovação dos ativos de transmissão, depois que passou a permitir, em media provisória da última sexta-feira, que investimentos no segmento feitos até maio de 2000 e não amortizados também sejam passíveis de ressarcimento.

Na assembleia de acionistas, o presidente-executivo e o presidente do Conselho de Administração da Eletrobras não compareceram. José da Costa Carvalho Neto e Márcio Zimmermann, CEO e chairman da Eletrobras, respectivamente, não estavam na reunião. O representante da companhia no encontro com acionistas foi o diretor financeiro, Armando Casado de Araújo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZ
Yasmin Brunet renova o bronzeado em dia de praia de Ipanema
DOIS IRMÃOS DO BURITI
Servidores públicos flagram abuso de criança e detêm estuprador
CAPITAL
Bíblias são encontradas intactas depois de incêndio que destruiu hotel
PLANO DE MANEJO
Futuro ministro do Meio Ambiente responde por ação de improbidade
NOVA ANDRADINA
Mãe de menino com doença degenerativa pede ajuda para bazar solidário
UFMS
Abertas 74 vagas para professores substitutos com salário de até R$ 6 mil
FUTEBOL
Marta é a primeira mulher a eternizar os pés na calçada do Maracanã
OPERAÇÃO JOÃO DE BARRO
Proposta da UFGD é aprovada para o Projeto Rondon 2019
RURAL
Governo defende agricultura e turismo sustentável em Bonito e região
CAMPO GRANDE
TRE/MS mantém mandato de vereadora, acusada de infidelidade partária

Mais Lidas

DOURADOS
Criança morre no HV três dias após ser atropelada na Cachoeirinha
PREGÃO
Vereadora presa desde outubro tenta retomar cargo na Câmara de Dourados
CHAPADÃO DO SUL
Avião agrícola cai e mata piloto em cidade de MS
DOURADOS
Criança morta após acidente de trânsito teve órgãos levados para SP e Campo Grande