Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2019
(67) 9860-3221

Governo facilita captação de recursos brasileiros no exterior

05 dezembro 2012 - 13h38

O governo voltou atrás e reduziu o prazo para a cobrança do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) sobre empréstimos externos. Com isso, toda operação com menos de 360 dias será tributada em 6% de IOF. Anteriormente, o prazo era de 720 dias. Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a mudança permite que empresas e instituições financeiras captem recursos em um período mais curto sem o imposto. Na prática, a captação de recursos em um período mais longo, ficará isenta do pagamento do IOF.

“Nós achamos que com a taxa de juros mais baixa aqui no Brasil, não existe mais a atração de capital especulativo e de arbitragem [operação de compra e venda de moeda estrangeira em países diferentes com o objetivo de lucrar no curto prazo com a diferença de valores]. Então, aquilo é captado lá fora, será para capital de giro e investimento das empresas. Nós estamos facilitando isso”, disse o ministro.

Em junho, o governo já havia reduzido de cinco para dois anos o prazo dos empréstimos externos sujeitos a pagamento do IOF com alíquota de 6%.

Mantega descartou ainda que a medida tenha relação com a elevação do dólar, que chegou a ultrapassar a marca de R$ 2,10 nos últimos dias e levou o Banco Central a anunciar medidas para facilitar a entrada de moeda estrangeira no país.

“A medida [anunciada pelo Ministério da Fazenda hoje] é para facilitar a vida das empresas e dos bancos em um momento que diminui a arbitragem. Antes, você trazia recurso para o Brasil apenas para aplicar e ganhar com os juros. Agora, só vai trazer recursos para aplicações produtivas”, destacou.

Mantega evitou indicar se o câmbio do dólar chegou ao limite. Ele lembrou que a política no Brasil é de câmbio flutuante, com o valor da moeda variando livremente dentro das condições de mercado.

“É flutuante e não tem limite. Mas acredito que como nós temos uma situação de taxa mais equilibrada, isso dá menos volatilidade ao câmbio, que se estabilizará em uma situação melhor e mais real, precisando de menos intervenção do governo”, destacou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

A DONA DO PEDAÇO
Maria da Paz decide vender bolos na rua para sobreviver
MATO GROSSO DO SUL
Congresso Internacional debate pautas para próxima eleição
SENADO
Comissão analisa prioridade de matrícula para vítimas de violência doméstica
RURAL
Prorrogado prazo para cadastramento de áreas para plantio de milho em Mato Grosso do Sul
BRASIL
Bolsonaro diz que Câmara votará porte de arma para produtor rural
DOURADOS
Prevendo avanços, políticos conhecem Sisfron em Dourados
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar R$ 3 milhões em sorteio amanhã
MAIS ALTA DO PAÍS
UFMS cobra R$ 7 mil para revalidar diploma estrangeiro e MPF quer diminuição do valor
LARANJA
Suspeita de fraudar contas, candidata foi 100% financiada por recursos públicos
BRASIL
Mantega virá réu na Justiça Federal por fraudes de R$ 8 bi no BNDES

Mais Lidas

DOURADOS
Preso em operação estava sob monitoramento por assalto
DOURADOS
Vereadora vai à delegacia e diz ser vítima de atentado
DOURADOS
Ciclista atropelado na Marcelino morre após meses de tratamento
DOURADOS
Preso é encontrado morto na PED em mesmo raio onde ocorreu pente-fino
Rapaz estava enforcado em uma das celas da unidade penal