Menu
Busca domingo, 20 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221
DECISÃO

Fachin determina prisão de Joesley e Ricardo Saud

10 setembro 2017 - 09h00

O ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin autorizou a prisão temporária (de cinco dias) dos delatores da J&F Joesley Batistae Ricardo Saud. A decisão foi tomada a partir do pedido de prisão apresentado, na última sexta (8), pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O chefe do Ministério Público havia pedido, ainda, a prisão do ex-procurador da República Marcello Miller. Neste caso, o ministro do STF não autorizou a prisão.

A ordem de Fachin não significa que as prisões ocorrerão na manhã deste domingo (10), como, normalmente, acontece com as execuções realizadas pela Polícia Federal (PF). As prisões podem ocorrer ao longo do dia ou até mesmo nesta segunda-feira (11).

Em relação aos delatores, a prisão foi autorizada porque eles são suspeitos de omitir informações dos investigadores, o que quebra cláusulas do acordo.

No caso de Marcello Miller, a suspeita é de que ele teve uma conduta criminosa ao atuar para a J&F enquanto ainda integrava o Ministério Público.

Miller se desligou da carreira de procurador somente em abril, mas, na polêmica gravação entre Joesley e Saud aparentemente gravada por descuido, os dois delatores sugerem que o ex-auxiliar de Janot auxiliou os executivos do grupo empresarial a negociarem os termos da delação premiada com a PGR.

CONVERSA

Uma semana depois de pedir exoneração do cargo, Miller já atuava em reuniões na PGR como advogado do escritório que negociou o acordo de leniência da J&F, uma espécie de delação premiada das empresas. Fachin, no entanto, não viu motivos para a prisão do ex-procurador da República.

O pedido de prisão de Joesley, Saud e Miller entrou no sistema eletrônico do Supremo com sigilo – não é possível saber o conteúdo, as razões que levaram a Procuradoria a fazê-lo e se há informações novas da investigação nesse pedido.

REVISÃO DO ACORDO

Na sexta-feira, Janot pediu ao Supremo, por meio de ação cautelar, as prisões do empresário Joesley Batista – um dos donos do frigorífico JBS –, do diretor de Relações Institucionais da J&F, Ricardo Saud, e do ex-procurador da República Marcello Miller.

Com os pedidos de prisão de Joesley e Saud, o acordo de delação premiada firmado entre a J&F e a Procuradoria Geral da República deve ser revisado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TELEVISÃO
BBB19: com superparedão em andamento, hoje terá votação misteriosa
PANTANAL
Acidente entre carro e moto deixa homem morto e mulher ferida
JAGUAPIRU
Acusado de balear mulher após discussão é preso pela Polícia
DAVOS
Bolsonaro embarca neste domingo para o Fórum Econômico Mundial
CAMAPUÃ
Acidente entre Celta e Uno deixa ao menos cinco mortos na BR-060
MONTE LÍBANO
Homem é preso acusado de tráfico de drogas por atacado
CONCURSO
Inscrições para professor temporário do Estado terminam hoje
VILA ERONDINA
Polícia registra dupla tentativa de homicídio em Dourados
AQUIDAUANA
Homem é preso com revólver carregado e cinturão com munições ilegais
FUTEBOL
Operário de Dourados estréia no Estadual com derrota 3 a 2

Mais Lidas

DOURADOS
Homem furta loja do shopping, alarme dispara e ele acaba preso
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
Discussão entre casal termina com mulher baleada em Dourados
CAMPO GRANDE
Bandidos que morreram em confronto com a polícia são identificados
DOURADOS
Assaltante agride mulher para roubar moto, mas desiste após não conseguir dar partida