Menu
Busca quinta, 27 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Exportações de pescados brasileiros crescem 2,07% em 2004

23 janeiro 2005 - 12h03

Apesar de ter sofrido uma redução no seu crescimento, principalmente pelas restrições comerciais promovida pelos Estados Unidos contra os produtores brasileiros de camarão, as exportações de pescados cresceram 2,07%, em 2004, em relação ao ano de 2003. Descontados os números das exportações de camarão, as exportações brasileiras de pescados cresceram, no período, 19,77%. Várias missões de empresários brasileiros foram organizadas pela Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca da Presidência da República para divulgar o peixe brasileiro no exterior. Como resultado o impacto da ação norte-americana contra o camarão foi amenizado e os novos mercados foram abertos, principalmente na Europa. Entre os destaques das exportações estão a tilápia, a lagosta, os moluscos e os filés de pescado em geral. O Brasil também garantiu o envio à Europa da primeira carga de filé de pintado cultivado no Mato Grosso do Sul.A sobretaxa imposta às importações do camarão pelos Estados Unidos e a falta de crédito reduziram a carcinicultura no país. Mesmo assim, o camarão fechou o ano com um resultado positivo de US$ 184,3 milhões, contra US$ 224,5 milhões, em 2003. As receitas de exportação do camarão caíram em 10% em relação ao ano anterior, passando de US$ 244,8 milhões para US$ 219,3 milhões. A alternativa encontrada pelos empresários brasileiros foi passar a vender o produto para a Europa e Ásia. Com isso, as exportações para essas regiões aumentaram aproximadamente em 20%.As importações brasileiras passaram de US$ 202 milhões, em 2003, para US$ 252 milhões, em 2004. Ou seja, um crescimento de 24,22% que resultou na queda do superávit comercial em 17,95%. Segundo o Gerente de Projeto de Comercialização e Promoção Comercial da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca (Seap), Guilherme Hundley, o aumento nas importações confirma a tendência de melhora do interesse da população pelo pescado e mostra que o governo, por meio da Seap, está correto com sua política de incentivo ao cultivo e à melhoria da infra-estrutura da cadeia produtiva.A expectativa do governo para 2005 é que a comercialização do camarão deve crescer pelo menos 20%. Um dos fatores que vai contribuir com esse aumento é a falta de camarão nos países asiáticos atingidos pelo tsunami no final do ano passado. Além disso, a sobretaxa de 10,4% já aplicada ao camarão brasileiro, pelos norte-americanos deve permitir a retomada das vendas àquele país, já que outros exportadores foram penalizados com sobretaxas maiores 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SÃO GABRIEL
Menino de 5 anos é internado em estado grave após ser atropelado
SAÚDE
Trote solidário: UEMS incentiva doação de sangue e cadastro de medula óssea
CAPITAL
Garçom lambe orelha de cliente em bar e é denunciado à polícia
SAÚDE
Disseminação de fake news sobre coronavírus preocupa especialistas
LÉO VERAS
Suspeito nega execução de jornalista e teme queima de arquivo
ESPORTE
GP Rochedo de Ciclismo abre inscrições para prova dia 15 de março
SÃO GABRIEL
Peão morre atingido por hélice ao consertar maquinário em fazenda
SANEAMENTO
Sanesul executa obras de esgotamento sanitário em Antônio João
TRÊS LAGOAS
Motorista fica preso nas ferragens após colisão entre caminhões na BR-262
MEIO AMBIENTE
Bachelet critica 'retrocessos significativos' na política ambiental no Brasil

Mais Lidas

MULTIDÃO
Carnaval na praça central de Dourados termina em ‘confusão e sujeira’
DOURADOS
Mulher tenta sair de mercado com quase R$ 700 em compras sem pagar
INVESTIGAÇÃO
Ex-prefeito de Amambai foi morto após discussão por desacordo trabalhista
PONTA PORÃ
Estado monitora caso suspeito de Coronavírus na fronteira