Menu
Busca sexta, 13 de dezembro de 2019
(67) 9860-3221
OPERAÇÃO PATRÓN

Ex-presidente do Paraguai, Horacio Cartes é alvo de mandado de prisão na Lava Jato

19 novembro 2019 - 06h13Por G 1

O ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes é alvo de mandado de prisão preventiva em desdobramento da Lava Jato que ocorre nesta terça-feira, dia 19 de novembro. A suspeita é que ele tenha ajudado na fuga de Dario Messer, considerado o doleiro dos doleiros.

A decisão é do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal fluminense, e Cartes terá o nome inserido na difusão vermelha da Interpol.

A operação é um desdobramento da Operação Câmbio, Desligo; batizada de Patron. Em espanhol, a palavra significa "patrão" e é o termo reverencial que Messer se referia a Cartes.

Desta vez, a ação tem como alvos pessoas que o ajudaram a fugir ou ocultar seu patrimônio.

Até agora, uma pessoa havia sido presa: o também doleiro Najun Azario Flato Turner, localizado no Itaim Bibi, Zona Oeste da capital paulista. Equipes da Polícia Federal também estão em Copacabana, Zona Sul do Rio.

A ação visa cumprir 37 mandados judiciais expedidos por Bretas em Búzios, São Paulo e em Ponta Porã (MS), na fronteira com o Paraguai:

16 mandados de prisão preventiva

3 mandados de prisão temporária

18 mandados de busca e apreensão

Doleiro dos doleiros

Messer estava foragido desde maio de 2018, quando foi deflagrada a Operação Câmbio Desligo. A investigação descobriu que doleiros movimentaram US$ 1,6 bilhões em 52 países. Na semana passada, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes negou um pedido de liberdade a Messer.

O doleiro responde a inquéritos policiais desde o fim dos anos de 1980. Neste período, movimentou dinheiro de forma suspeita de políticos, empresários e criminosos.

Cartes é senador vitalício

O ex-presidente paraguaio Horacio Cartes deixou o poder em agosto de 2018 após cinco anos no poder. Ele ocupa atualmente a função de senador vitalício.

A Constituição do país garante que os ex-presidentes podem assumir esse cargo, que dá voz, mas não direito a voto.

O empresário, considerado um dos mais ricos do Paraguai, chegou ao poder em abril de 2013. Sua eleição representou o retorno ao poder do conservador Partido Colorado, que dominou a política local durante 60 anos, incluindo os mais de 30 anos da ditadura de Alfredo Stroessner.

A hegemonia do partido havia sido interrompida em 2008, ano da eleição de Fernando Lugo, deposto do cargo em 2012.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RURAL
Para desburocratizar, Sefaz implanta o Cadastro Eletrônico da Agropecuária
INFORME PUBLICITÁRIO
Imperdível! Até Papai Noel vai querer colchão magnético casal biomassagem por R$ 1.599
FUTEBOL
Com promessa de mais uma festa, Flamengo embarca hoje para o Catar
PARANHOS
Indígena é preso após polícia flagrar plantação de maconha em aldeia
HUMOR
Dourados recebe humorista do Pânico no domingo
ABONO DE NATAL
13° salário dos servidores de Dourados está disponível para saque
BR-163
Motorista que morreu ao bater de frente com carreta tinha 39 anos
CAIXA
Saque adicional de R$ 498 do FGTS poderá ser feito a partir do dia 20
APROVADOS
TJ/MS divulga lista de inscrições deferidas para o concurso da magistratura
CAPITAL
"Não consegui salvar minha filha": a dor da mãe de criança atacada

Mais Lidas

CAARAPÓ
Homem é assassinado a golpes de faca após discussão em bar
DOURADOS
Inteligência da PM prende dois por tráfico no bairro Estrela Tovi
GRANDE DOURADOS
Quadrilha especializada em roubo de caminhonetes é desarticulada e seis são presos
FURTO
Polícia recupera objetos e fecha ponto de receptação em Dourados