Menu
Busca segunda, 19 de novembro de 2018
(67) 9860-3221

Ex-coelhinha da 'Playboy' é presa por violência doméstica

19 maio 2011 - 12h37

A atriz e ex-coelhinha da Playboy Shauna Sand foi presa na noite de quarta-feira (18) em Beverly Hills sob suspeita de violência doméstica contra o marido, Laurent Homburger.

De acordo com o site TMZ, a polícia foi chamada à residência do casal depois que algum vizinho relatou uma briga entre os dois.

Segundo fontes próximas ao casal, Shauna pulverizou o rosto do marido com spray de pimenta. Os relatos dizem que ela não economizou na dose.

O motivo da briga seria que ela queria o divórcio do rapaz, de 25 anos, mas ele se mostrou contra e teria feito ameaças. Os informantes do site disseram que Shauna, de 39, se trancou no quarto e o marido foi atrás e arrombou a porta. Neste momento, ela teria se defendido com o spray.

Ambos foram levados à delegacia e terão que prestar depoimento sobre o ocorrido na noite anterior.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Panambi conquista invicto o tricampeonato Interdistrital
DOURADOS
Policia Militar apreende arma, drogas e 15 pessoas são presas durante a operação Proclamação da República
INTERNACIONAL
Os melhores hotéis do mundo
BRASIL
A pouco mais de um mês para posse, equipe econômica está quase fechada
DOURADOS
Concessionária diz trabalhar em área afetada por queda de árvore e previsão de retorno de energia é até as 22h
FUTEBOL
Rivais tropeçam e apimentam Fluminense x Ceará no Brasileirão
MS
Publicados novos valores das unidades monetária e de referência do MS
ECONOMIA
PIB per capita de MS cresceu 4,5 vezes em 14 anos
BRASIL
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento
DOURADOS
Pastoral Universitária da Unigran celebram os sacramentos do batismo e 1ª Eucaristia

Mais Lidas

TEMPORAL
Fortes ventos derrubam mais de 30 árvores e deixa rastro de destruição em Dourados
FACADAS
Traficante brasileiro mata namorada dentro de cela no Paraguai
TEMPORAL
Ventos fortes derrubam árvores em Dourados
DOURADOS
Antes de ser assassinado, homem passou por ‘tribunal do crime’