Menu
Busca quarta, 22 de maio de 2019
(67) 9860-3221

'Eu não tolero corrupção', afirma Dilma

14 dezembro 2012 - 10h20

Os desdobramentos do escândalo do mensalão voltaram a repercutir ontem em Paris. Em entrevista ao jornal francês Le Monde, a presidente Dilma Rousseff defendeu e elogiou seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmando que ele abriu uma "nova etapa" no combate à corrupção no Brasil. A presidente disse ainda que seu governo "não tolera a corrupção". Em uma frase ambígua, completou: "Não se deve confundir estas investigações e a caça às bruxas próprias aos regimes autoritários e de exceção".

As declarações foram feitas ao jornalista Paulo Paranaguá, do jornal francês. Com ênfase nas relações entre a França e o Brasil, na crise econômica internacional e no crescimento do País, a entrevista recebeu uma página no diário. Em um segundo texto, menor, a reportagem aborda a corrupção. Nele, Dilma diz que Lula foi responsável por uma guinada no combate à corrupção no Brasil. "O Ministério Público é independente, a Polícia Federal investiga, prende e sanciona", diz ela. "E aquele que começou essa nova etapa de governança foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva."

Na mesma resposta, Dilma reitera: "Eu não tolero a corrupção, e meu governo também não. Se há suspeitas fundadas, a pessoa deve partir". Então, usou de uma frase enigmática, sem explicar seu sentido: "Claro, não se deve confundir essas investigações e a caça às bruxas próprias aos regimes autoritários e de exceção".

Ainda falando sobre o caso brasileiro, a presidente disse que, "graças às novas tecnologias, o Brasil criou um 'Portal da Transparência', que registra todas as despesas públicas no mesmo dia". Outro exemplo citado por Dilma foi que, "para ser candidato a uma eleição, os brasileiros devem se conformar à Lei da Ficha Limpa e não podem ter sido condenados".

Em um trecho anterior da entrevista, Dilma falou genericamente sobre o combate à corrupção, alegando que esta é uma causa mundial. "Este problema atinge todos os países. Não são as pessoas que devem ser virtuosas, mas as instituições. A sociedade deve ter acesso a todos os dados governamentais", pregou, enfatizando: "Todos os que se valem de fundos públicos devem prestar contas. Senão, a corrupção se multiplica. É preciso ser voluntarista".

Questionada pela reportagem se será candidata à reeleição em 2014, Dilma não quis confirmar. "Eu tenho dois anos de governo intensos à minha frente. Não é o momento de pensar nisso. Seria colocar os carros à frente dos bois."

No mesmo dia em que Dilma concedeu a entrevista, na quarta-feira à tarde, Lula discursou em um fórum coorganizado por seu instituto. No pronunciamento, não descartou disputar uma eleição. "Espero que, se um dia eu voltar a ser candidato, eu tenha votos deles (de empresários), que não tive em outras eleições", disse.

Dilma e Lula estiveram em Paris simultaneamente, a primeira para uma visita de Estado e o segundo para uma conferência sobre progresso social. Os dois se reuniram uma única vez, na segunda-feira, para um almoço. Um outro encontro aconteceria na noite de terça-feira, quando o Palácio do Eliseu ofereceu um jantar de gala aos dois, com a participação de líderes políticos, diplomáticos, empresariais e de jornalistas. Já pressionado pelas novas denúncias e evitando a imprensa, o ex-presidente alegou desconforto na garganta e não participou.

Na única entrevista que concedeu em Paris, Dilma também havia defendido Lula tachando as denúncias de "lamentáveis".

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS-270
Caminhão possuía 84 fardos de maconha e droga ultrapassa 1,6 tonelada
ASSEMBLEIA
Aprovado projeto de lei de Renato Câmara que garante cadastro provisório à assentados de MS
MS
Acidente deixa uma pessoa ferida na BR-163, próximo a Naviraí
MS
Carga de maconha apreendida próximo a assentamento deve ultrapassar 1t
APÓS ADIAMENTO DE PROVA
MPF recomenda que IFMS não restrinja caráter competitivo de novos concursos
SAÚDE
Você sabe o que é Lúpus?
CONTRABANDO
Carga com 600 mil maços de cigarros é apreendida em MS
HONRA AO MÉRITO
Sessão solene homenageia quem faz a história de Dourados
BONITO
Congresso Holístico terá palestra sobre “liberdade”, com Caroline Figueiró
PEDRO JUAN
Três suspeitos de chacina na fronteira são presos pela polícia paraguaia

Mais Lidas

DOURADOS
Presos fazem motim na PED em ala ocupada por membros de facção criminosa
POLÍCIA
Após pescaria, marido encontra desconhecido na frente de casa e ameaça mulher com arma em Dourados
ACIDENTE
Motociclista avança preferencial, colide com outra moto e morre
EDUCAÇÃO
Greve atinge escolas em Dourados e prejudica merenda, inspeção e limpeza