Menu
Busca sábado, 25 de maio de 2019
(67) 9860-3221

Empreendedor individual precisa buscar capacitação, alerta Sebrae no MS

17 janeiro 2013 - 13h26

Tornar-se dono do próprio negócio é o sonho de muitas pessoas. E após a Lei Complementar 128/2008, que criou a figura do Empreendedor Individual (EI), este desejo se tornou realidade para várias delas; inclusive alguns que já estavam à frente de um empreendimento, mas trabalhavam na informalidade.



O processo até a liberação do CNPJ é simples e dura poucos dias, começando pelo cadastro no Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.com.br) e passando pela regularização junto à prefeitura de cada cidade. Júlio César da Silva, técnico do Sebrae no MS, alerta que a partir daí os desafios estão apenas começando.



“É importante que todos tenham a visão de que as informações anotadas não são somente para registro e controle na hora de declarar os rendimentos, mas servem principalmente para análise e planejamento do negócio. Sabe-se com isso, por exemplo, os meses de maior movimento ou que demandam mais investimentos”, destaca Júlio.



Segundo ele, é necessária preparação por parte do empresário para que o negócio prospere; que pode ser feita através do próprio Sebrae. Em um dos projetos da entidade de apoio às micro e pequenas empresas, o Nascer Bem, são oferecidos diversos cursos gratuitos e alguns treinamentos com investimento de R$ 30 reais.



As capacitações, disponíveis nos três turnos (matutino, vespertino e noturno), trazem dicas sobre a preparação para a rotina empresarial e temas como plano de negócios, compras, vendas, atendimento, fluxo de caixa, legislação vigente, nota fiscal; entre outros.



Outra opção é o Negócio a Negócio, no qual o EI pode solicitar a visita de um Agente de Orientação Empresarial, apto a fazer um diagnóstico do negócio e propor soluções com foco na gestão, principalmente nas áreas de mercado, produção, comercialização, finanças e recursos humanos.



Enquadramento e tributos



São considerados empreendedores individuais empresários que faturem até R$ 60 mil por ano (valor bruto), não participem em outra empresa como sócio ou titular; e possuam no máximo um empregado contratado que receba salário mínimo ou o piso da categoria.



Após o reajuste do salário mínimo, o EI paga valor fixo mensal de R$ 33,90 para fins de INSS; caso trabalhe com prestação de serviço há um acréscimo de R$ 5 referentes ao ISS e, se desempenhar atividade nos setores do comércio e indústria é recolhido também R$ 1 de ICMS.



Mais informações sobre quais profissões fazem parte, como se tornar um EI e as capacitações oferecidas pelo Sebrae no Mato Grosso do Sul podem ser obtidas pelo site www.ms.sebrae.com.br ou telefone 0800 570 0800.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UEMS
Curso de Pedagogia promove encontro brincante hoje em Dourados
ECONOMIA
Petrobras reduz preço da gasolina na refinaria em 4,4% a partir deste sábado
AMAMBAI
Jovem é preso após abandonar veículo com 353 quilos de maconha
TEMPO
Sábado de sol e com temperatura baixa em Dourados
UAU
Giovanna Ewbank encanta de topless nas Maldivas
REGRAS FLEXÍVEIS
Órgão do MPF diz que novo decreto sobre armas pode favorecer milícias
CAMPO GRANDE
Homem aceita se encontrar com marido de colega e é agredido a pauladas
INVESTIGAÇÃO
Queiroz pagou R$ 133 mil em dinheiro por cirurgia em hospital de SP
LADÁRIO
Com motorista refém no MT, casal é preso tentando levar carreta para Bolívia
BRASIL
Governo federal estuda aluguel social no Minha Casa Minha Vida

Mais Lidas

APÓS INVESTIGAÇÃO
Polícia conclui que atentado registrado por vereadora foi acidente de trânsito
VILA CACHOEIRINHA
“Boca” é fechada, mulher é presa e diz traficar pelo baixo valor do salário mínimo
TRÁFICO
Motorhome com destino a São Paulo é apreendido com mais de 4 toneladas de maconha
MS-156
Dupla é presa pela PF com pistolas entre Dourados e Itaporã