Menu
Busca quarta, 26 de junho de 2019
(67) 9860-3221

É inepta denúncia de espionagem contra funcionários e gestores de empresa

15 junho 2011 - 11h50

É inepta a denúncia contra funcionários e gestores da Kroll no Brasil, acusados de espionar a Telecom Itália na disputa pelo controle acionário da Brasil Telecom. Para a 2ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, o Ministério Público Federal não conseguiu fazer relação entre os acusados e os crimes de corrupção ativa, divulgação de informação sigilosa e receptação de informação. O processo se originou da Operação Chacal, deflagrada pela Polícia Federal em 2004.

A decisão, desta terça-feira (14/6), foi unânime. Os desembargadores Nelton dos Santos e Peixoto Júnior acompanharam o voto da relatora, Cecília Mello.

Um dos pontos da defesa da Kroll, representada pela criminalista Joyce Roysen, contra a acusação de grampos ilegais foi a existência de um laudo emitido pela perícia técnica da Polícia Federal dizendo que os equipamentos apreendidos, ao contrário do que se alegava, serviam para detectar grampos, e não para fazer escutas ilegais.

Processo arquivado

Em abril de 2010, a 2ª Turma já havia determinado o arquivamento do processo movido contra o banqueiro Daniel Dantas e da ex-presidente da Brasil Telecom Carla Cicco, que, de acordo com acusação da Polícia Federal, contrataram a Kroll para fazer as escutas ilegais. Neste caso, a decisão não foi unânime. Cecília Mello e Nelton dos Santos votaram pelo arquivamento, enquanto Henrique Hernkenhoff (que se desligou do TRF-3 para assumir a Secretaria de Segurança do Espírito Santo) entendeu que havia indícios para o prosseguimento da Ação Penal.

Naquela ocasião, Cecília Mello apontou disparidades entre a descrição dos fatos apurados e a qualificação criminal proposta na denúncia — como fatos atípicos que não são previstos em lei. “Não há referência de tempo ou lugar e não se prova que o pagamento em troca de informações tenha sido feito efetivamente”, enfatizou.

O desembargador Nelton dos Santos concordou com o entendimento da relatora. Em seu voto, ressaltou ainda que o crime de corrupção ativa não se configura quando o ato de corrupção de funcionário público é anterior. “Quem paga pela informação não corrompe o funcionário que já tinha se corrompido antes. Deve-se levar em conta a anterioridade.”

Operação Chacal

A guerra pelo controle da Brasil Telecom colocou a Polícia Federal no encalço do banqueiro Daniel Dantas, na operação que investigou a espionagem empresarial contratada pelo Opportunity contra a Telecom Italia. A oportunidade para a PF intervir surgiu quando agentes da Kroll contratados pelo Opportunity para bisbilhotar a Telecom Italia acabaram atingindo Luiz Gushiken, que viria a ser secretário de comunicação do governo Lula, e o presidente do Banco do Brasil, Cássio Casseb.

Às trapalhadas dos espiões da Kroll, se somou uma gentileza dos italianos. As provas contra Dantas que permitiram montar a Operação Chacal foram gentilmente cedidas à PF em um CD entregue por Angelo Jannone, ninguém menos do que um dos responsáveis pela segurança da Telecom Italia. A empresa italiana está sendo investigada na Itália por atividades ilegais do mesmo teor.

Fonte: Conjur

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Filha de Romário posa de biquíni e irmão brinca: “Que palhaçada é essa?”
BATAYPORÃ
Debate entre vereadores termina em ''quebra-pau'' na porta de delegacia
EXTRADIÇÃO
Após anúncio, Paraguai expulsa presos brasileiros procurados pela Justiça
UEMS
Curso de pedagogia realiza 4ª Colônia de Férias em Dourados
RECADASTRAMENTO
Mais de 93 mil eleitores já passaram pela biometria obrigatória em MS
CAMPO GRANDE
Câmera flagra “puxão” em nota de R$ 100 e caixa de lotérica vai presa
DOURADOS
Defesa de Idenor vai à Justiça para tentar barrar nova sessão
POLÍTICA
Câmara aprova texto-base de projeto que prevê nova lei de licitações
INTERIORIZAÇÃO
Grupo de 167 venezuelanos chega esta semana em Dourados
FUTEBOL
Jogos da Copa América só terão prorrogação a partir da semifinal

Mais Lidas

DOURADOS
Trans e namorado são presos suspeitos de extorquir cliente após programa
FRONTEIRA
Homem assassinado em estacionamento de shopping é ex-policial
DOURADOS
Jovem morre ao bater moto contra carreta parada no Água Boa
DOURADOS
Homem escapa de tiros na Vila Toscana; ex-namorada e o atual dela seriam os autores