Menu
Busca sábado, 17 de agosto de 2019
(67) 9860-3221
ECONOMIA

Dólar termina a semana em alta, de olho em projeções sobre juros nos EUA

19 julho 2019 - 17h05Por G1

O dólar fechou em alta nesta sexta-feira (19), acompanhando uma correção global, depois de cair ao menor nível em cinco meses no dia anterior repercutindo declarações de autoridades do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos).

A moeda norte-americana subiu 0,48%, a R$ 3,7457. Na semana, o dólar avançou 0,2%. 

Diferença entre o dólar turismo e o comercial, considerando valor de fechamento

No dia anterior, o dólar recuou com a declaração do presidente do Fed de Nova York, John Williams, de que as autoridades não podem esperar que ocorra um desastre econômico para adotarem estímulo - ou seja, baixarem os juros norte-americanos. Pouco após a declaração de Williams, o vice-presidente do Fed, Richard Clarida, também disse que os estímulos não devem aguardar até que os dados sofram virada decisiva.

Mercados globais interpretaram as declarações como indicações fortes de que o Fed optaria por um corte mais intenso de juros, acima da redução de 0,25 ponto percentual que investidores projetavam.

No entanto, no fim do dia um representante do Fed de Nova York esclareceu que as declarações de Williams não se referiam a um direcionamento da política monetária, o que levou o dólar a recuperar suas perdas.

Neste pregão, ocorria um reposicionamento global das apostas quanto ao corte de juros que o Fed fará, com investidores voltando a se concentrar em uma redução de 0,25 ponto percentual.

"(Dólar) voltou naturalmente com a sinalização de que, se (o Fed) cortar, será em 0,25 ponto percentual, e não 0,5 ponto. Com o Fed sendo mais conservador no corte, voltou a valorizar o dólar", explicou à Reuters o superintendente da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva.

O mercado monitora pistas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos porque, com taxas mais altas, o país se tornaria mais atraente para investidores. Isso motivaria uma tendência de alta do dólar em relação a moedas como o real. Mas se, ao contrário, o Fed decidir não aumentar os juros agora, recursos aplicados em outros mercados, como o brasileiro, tendem a não migrar para aos Estados Unidos, o que afastaria essa pressão de alta do dólar em relação a outras moedas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Mia Khalifa cria atrito no pornô internacional ao renegar passado na indústria
ESCOLARES
Modalidades individuais dos Jogos Escolares da Juventude terão como sede Corumbá e Nova Andradina
EMPREGO
MS tem a 4ª menor taxa de desocupação do país no segundo trimestre de 2019, diz IBGE
BRASIL
Remédio para cólica menstrual tem efeito para tratar esquistossomose
DOURADOS
Acidente com morte pode ter ocorrido após motociclista ser fechado por carro
GUIA LOPES
Homem é flagrado com couro de onça e multado pela PMA
BR-163
Passageira morre após homem colidir moto contra placa de sinalização em Dourados
MELHOR IDADE
Confira os vencedores da etapa do voleibol adaptado e bocha
ESTELIONATO
Homem perde R$ 14 mil ao cair em golpe pela internet
CAMPO GRANDE
Decisão anula TAC que estabelece remoção de empresas de antigo lixão

Mais Lidas

DOURADOS
Polícia apresenta dupla presa por envolvimento em sequestro e identifica resto do bando
DOURADOS
Defensoria flagra pacientes sem água e comida no Hospital da Vida
POLÍCIA
Após denúncias, trio é preso por tráfico na Vila Cachoeirinha
DOURADOS
Um ano após crime, TJ ainda vai decidir se pai e madrasta vão a júri por morte de bebê