Menu
Busca sexta, 14 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221

Delcídio acredita que veto aos royalties será derrubado pelo Senado

04 dezembro 2012 - 08h10

O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) acredita que o veto da presidente Dilma Roussef a ítens do projeto que estabelece novos critérios para a distribuição entre os estados dos royalties do petróleo poderá ser derrubado no Congresso Nacional, caso a matéria seja incluída na pauta pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB/AP).

“O veto vai ser julgado e isso depende apenas do presidente Sarney pautar. Amanhã(terça-feira) vai haver uma reunião dos governadores para pedir que ele se posicione quanto a votação do veto. São 24 estados contra três e o voto será no “escurinho do cinema”, ou seja, secreto. Portanto, todos já podem imaginar o que vai dar se o veto for à votação”, disse Delcídio, ao participar na manhã desta segunda-feira, 3 de dezembro, da abertura do Congresso para o Desenvolvimento dos Municípios – Expocidades, promovido pela FIEMS, a FECOMERCIO, a FAMASUl e o SEBRAE no Centro de Convenções Albano Franco, em Campo Grande.

A estimativa é de que, se o veto for mantido, Mato Grosso do Sul deixará de receber cerca de R$ 150 milhões por ano a partir de 2013. De acordo com Delcídio, o prejuízo pode ser ainda maior.

“Se nada for feito para mudar essa situação, os royalties só serão distribuídos nos leilões que vão acontecer a partir de 2013, o que significa que os estados e municípios somente começarão a receber recursos dentro do cronograma natural de exploração e produção do pré-sal, por volta de 2017. Por isso, precisamos, mais do que nunca, de união forte para reverter o quadro. É preciso distribuir de forma isonômica , entre todos os estados, as riquezas do País”, alertou o senador.

Delcídio elogiou a iniciativa das entidades de promover a Expocidades.

“Este encontro serve de estímulo aos atuais e futuros administradores porque ele aborda todos os desafios enfrentados pelos prefeitos no dia a dia, como a utilização racional dos recursos gerados pelos impostos pagos pela população, a oportunidade para que as prefeituras possam compreender o papel delas como agentes de desenvolvimento, os agentes de atração de investimentos para promover o desenvolvimento dos municípios, a questão do atendimento eficiente à população em geral, a qualificação dos funcionários públicos, ou seja, é uma boa iniciativa no sentido de garantir eficiência na gestão, agilidade, rapidez, simplicidade e desburocratização, com as prefeituras atuando como grandes indutoras de investimentos importantes”, disse.


Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZ
Bruna Griphao mostra tanquinho trincado em passeio na cachoeira
FUTEBOL
CBF sorteia primeira fase da Copa do Brasil 2019: veja os confrontos
INTERPOL
Fux manda prender Cesare Battisti e abre caminho para extradição
FRONTEIRA
Com pistola na mochila, motociclista é preso pela PRF na BR-463
ESTRATÉGIAS
Governador e embaixador do Chile discutem o Corredor Bioceânico
ROMBO
Comissão do Congresso aprova Orçamento da União para 2019
COMPROMISSO
Reinaldo Azambuja vai doar metade do salário a entidades sociais
LEI
Motoristas envolvidos em contrabando terão habilitação cassada
NAVIRAÍ
Dupla faz pastor e esposa reféns e levam caminhonete e dinheiro
CORAÇÃO
Ex-presidente Dilma passa por cirurgia para desobstruir artérias

Mais Lidas

BOAS FESTAS
Operação contra tráfico e roubo termina com cinco presos em Dourados
LUTO
Morre em Dourados empresário dono de tradicional restaurante
DOURADOS
Vereadores presos são afastados pela Justiça e suplentes assumem hoje
BOAS FESTAS
Ação conjunta mira traficantes em Dourados