Menu
Busca Terça, 16 de Janeiro de 2018
(67) 9860-3221
Escola Sesc - Janeiro 2018

Delcídio acredita que veto aos royalties será derrubado pelo Senado

04 Dezembro 2012 - 08h10

O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) acredita que o veto da presidente Dilma Roussef a ítens do projeto que estabelece novos critérios para a distribuição entre os estados dos royalties do petróleo poderá ser derrubado no Congresso Nacional, caso a matéria seja incluída na pauta pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB/AP).

“O veto vai ser julgado e isso depende apenas do presidente Sarney pautar. Amanhã(terça-feira) vai haver uma reunião dos governadores para pedir que ele se posicione quanto a votação do veto. São 24 estados contra três e o voto será no “escurinho do cinema”, ou seja, secreto. Portanto, todos já podem imaginar o que vai dar se o veto for à votação”, disse Delcídio, ao participar na manhã desta segunda-feira, 3 de dezembro, da abertura do Congresso para o Desenvolvimento dos Municípios – Expocidades, promovido pela FIEMS, a FECOMERCIO, a FAMASUl e o SEBRAE no Centro de Convenções Albano Franco, em Campo Grande.

A estimativa é de que, se o veto for mantido, Mato Grosso do Sul deixará de receber cerca de R$ 150 milhões por ano a partir de 2013. De acordo com Delcídio, o prejuízo pode ser ainda maior.

“Se nada for feito para mudar essa situação, os royalties só serão distribuídos nos leilões que vão acontecer a partir de 2013, o que significa que os estados e municípios somente começarão a receber recursos dentro do cronograma natural de exploração e produção do pré-sal, por volta de 2017. Por isso, precisamos, mais do que nunca, de união forte para reverter o quadro. É preciso distribuir de forma isonômica , entre todos os estados, as riquezas do País”, alertou o senador.

Delcídio elogiou a iniciativa das entidades de promover a Expocidades.

“Este encontro serve de estímulo aos atuais e futuros administradores porque ele aborda todos os desafios enfrentados pelos prefeitos no dia a dia, como a utilização racional dos recursos gerados pelos impostos pagos pela população, a oportunidade para que as prefeituras possam compreender o papel delas como agentes de desenvolvimento, os agentes de atração de investimentos para promover o desenvolvimento dos municípios, a questão do atendimento eficiente à população em geral, a qualificação dos funcionários públicos, ou seja, é uma boa iniciativa no sentido de garantir eficiência na gestão, agilidade, rapidez, simplicidade e desburocratização, com as prefeituras atuando como grandes indutoras de investimentos importantes”, disse.


Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Prefeitura de Dourados paga na quinta-feira, mais uma parte do funcionalismo público
Pagamento é referente ao mês de dezembro
ROUBO
Menor é apreendido por furto e outros dois jovens por receptação
O adolescente indicou os outros comparsas no crime
LUTO
Ambulância quebra e por falta de UTI, gêmeos morrem na fronteira
SACO PLÁSTICO
Suspeitos de abandonar feto de 6 meses são ouvidos pela polícia
INFRAESTRUTURA
Governo investirá mais de R$ 1,5 mi em ruas de Ladário, Caarapó e Ponta Porã
BOLSA DE ESTUDO
Inscrições para o ProUni 2018 começam no dia 6 de fevereiro
FUTEBOL
“Douradão” está pronto para receber jogos do Sete e do Operário
PARQUE DOS PODERES
Veículo capota e deixa dois feridos nesta manhã
As vítimas estavam sem documentos e não foram identificadas
RADICAL
Reinaldo propõe fechar a fronteira contra tráfico de drogas e armas
MANUTENÇÃO
Sanesul informa interrupção de fornecimento de água em Indápolis

Mais Lidas

TRÊS LAGOAS
Mulher é morta pelo marido com tiro nas costas na frente da filha
OUSADIA
Polícia e agentes abatem drone que sobrevoava penitenciária em Dourados
POLÍCIA
Operações da Polícia Militar levam 29 pessoas às delegacias de Dourados
ARAL MOREIRA
Jovem de 21 anos é assassinado com tiros de escopeta na fronteira