Menu
Busca segunda, 18 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
BRASIL

Damares assumirá Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos

06 dezembro 2018 - 16h20Por Agência Brasil

A advogada Damares Alves assumirá o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. O nome foi anunciado hoje (6) pelo ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, confirmado para a Casa Civil. Assessora do senador Magno Malta (PR-ES), Damares comandará a pasta que será criada no governo de Jair Bolsonaro, a partir de janeiro.

O novo ministério também vai agregar ainda Fundação Nacional do Índio (Funai), responsável pela demarcação de terras indígenas e políticas voltadas para esses povos.

Com este anúncio, a equipe ministerial já conta com 21 ministros. Segundo Onyx Lorenzoni, o presidente eleito continua refletindo sobre a escolha para o Ministério do Meio Ambiente, a última pasta a ter o titular definido.

Apoiada por setores evangélicos, Damares Alves, que também é pastora, afirmou que terá como prioridade as políticas públicas para mulheres. Segunda ela, o objetivo é avançar nas metas que ainda não foram alcançadas e propôs um pacto nacional pela infância.

"A pasta é muito grande, muito ampla e agora a gente está trazendo para a pasta a Funai. Nós vamos trazer para o protagonismo políticas públicas que ainda não chegaram até às mulheres, e às mulheres que ainda não foram alcançadas pelas políticas públicas.”

De acordo com Damares Alves, a prioridade será para a “mulher ribeirinha, a mulher pescadora, a mulher catadora de siri, a quebradora de coco”. “Essas mulheres que estão anônimas e invisíveis, elas virão para o protagonismo nessa pasta. Na questão da infância, vamos dar uma atenção especial, porque está vindo para a pasta também a Secretaria da Infância, e o objetivo é propor para a Nação um grande impacto pela infância, um pacto de verdade pela infância", disse.

Funai

A futura ministra negou que dificuldades e controvérsias envolvendo a Funai serão problemas. "Funai não é problema neste governo, índio não é problema. O presidente só estava esperando o melhor lugar para colocar a Funai. E nós entendemos que é o Ministério dos Direitos Humanos, porque índio é gente, e índio precisa ser visto de uma forma como um todo. Índio não é só terra, índio também é gente", afirmou.

Pela manhã, indígenas de diversas etnias, vinculados à Articulação de Povos Indígenas do Brasil (Apib), estiveram no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e protestaram contra a desvinculação da Funai do Ministério da Justiça.

Os indígenas entregaram uma carta a integrantes do governo de transição. Dois representantes do grupo se reuniram com integrantes do futuro governo. Segundo os indígenas, a manutenção da autarquia na pasta da Justiça daria mais segurança na defesa de seus direitos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
PGR pede que apuração sobre caixa 2 de Lorenzoni vá para Justiça Eleitoral
FRONTEIRA
Operação conjunta prende suspeitos de terem assaltado mercado
EDUCAÇÃO
Projeto Rondon seleciona universitários para operação João de Barro
DOURADOS
Câmara aprova regulamentação do PCCR de agentes de saúde
CORUMBÁ
Receita Federal apreende 158 quilos de cocaína em caminhonete
BENEFÍCIO
UFGD oferece bolsas e auxílios para estudantes com vulnerabilidade
ECONOMIA
Petrobras sobe preço da gasolina ao maior valor desde dezembro
CRIME AMBIENTAL
Homem é autuado em R$ 4 mil por desmatamento de vegetação nativa
ITINERANTE
Comarca de Rochedo recebe Carreta da Justiça nesta semana
TECNOLOGIA
Receita alerta para falso e-mail sobre malha fina do Imposto de Renda

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Motociclista atropela, mata criança de 1 ano em Dourados e foge do local
DOURADOS
Após denúncia anônima, Polícia fecha “boca de fumo” no jardim Itália
POLÍCIA
Para defender a mãe de agressão, adolescente mata padrasto a tiros
DOURADOS
Motorista tenta desviar de outro veículo e bate carro em árvore