Menu
Busca sexta, 22 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221

Concentração de renda caiu no Brasil nos últimos dez anos, aponta pesquisa do IBGE

28 novembro 2012 - 15h39

A diferença, no Brasil, entre os 20% mais ricos e os 20% mais pobres ainda é grande, mas tem apresentado uma queda considerável nos últimos dez anos. Entre 2001 e 2011 o rendimento familiar per capita da fatia mais rica caiu de 63,7% do total da riqueza nacional para 57,7%. No mesmo período, os 20% mais pobres apresentaram crescimento na renda familiar per capita, passando de 2,6% do total de riquezas do país em 2001 para 3,5% em 2011.

Os dados fazem parte da pesquisa Síntese de Indicadores Sociais 2012, divulgada hoje (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para Leonardo Athias, pesquisador da Divisão de Indicadores Sociais do instituto, a redução da desigualdade no período deve ser atribuída às políticas de redistribuição de renda no país, com valorização do salário mínimo, expansão do Bolsa Família e ganhos educacionais, que permitem ao trabalhador almejar postos mais altos.

“Nós tivemos um duplo fenômeno. Uma diminuição da desigualdade, por um lado alavancada pelas políticas de renda, valorização do salário mínimo e programas sociais, direcionados à base da pirâmide de rendimentos, além de ganhos educacionais, tornando a população um pouco mais homogênea e ela pode almejar postos mais altos.”

O pesquisador também destacou o crescimento econômico ao longo da década passada como indutor das melhorias sociais. Outro fator importante foi o controle da inflação, iniciado na década de 90 e mantido após 2000, responsável por preservar o salário das classes mais pobres, que não tinham proteção via aplicações no sistema financeiro.

Outro índice mostrado na pesquisa do IBGE que demonstra a redução da desigualdade no país é o coeficiente de Gini, que vem apresentando uma redução constante a cada ano, desde a década de 90, quando atingiu o nível mais alto, de 0,602, chegando a 2011 com 0,508. Quanto menor o número, menos desigual é o país. Os extremos do coeficiente para o ano de 2011, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), foram de 0,586 para Angola e 0,250 para a Suécia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Bruna Griphao deixa tanquinho à mostra durante passeio na cachoeira
RORAIMA
Venezuela fecha fronteira com o Brasil no horário determinado por Maduro
BR-060
Perseguição acaba com 3 presos e caminhonete com maconha apreendida
REPASSES
Ministro do STF dá mais um ano para Congresso regulamentar a Lei Kandir
CAPITAL
PM encontra saco com 78 quilos de maconha em terreno baldio
MEIO AMBIENTE
Duas jibóias e uma jararaca foram capturadas nesta quinta na Capital
UFGD
Trote do Bem aumenta o número de doadores de medula óssea
APOSENTADO
Sargento da PM pega 4 anos de prisão por matar mulher a tiros
DOURADOS
Guarda Mirim abre turma e recebe título de Utilidade Pública Estadual
MEC
Instituições federais de ensino de MS recebem R$ 2,61 milhões

Mais Lidas

OPORTUNIDADE
Prorrogadas inscrições em processo seletivo para contratação de Assistentes de Atividades Educacionais
MAIS UM
Délia exonera secretário de Saúde e adjunta assume o posto
TURISMO
Deputado "mata" trabalho para passar nove dias em peregrinação
AMAMBAI
Homem mata a ex-mulher a facadas na frente dos sete filhos