Menu
Busca terça, 07 de julho de 2020
(67) 99659-5905

Cheque será compensado em até 2 dias a partir de julho

19 maio 2011 - 14h38

Os cheques passarão a ser compensados em até dois dias a partir do mês de julho, segundo informou hoje a Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Atualmente, dependendo da localidade, a compensação pode demorar até 20 dias úteis.

A mudança ocorre devido à implantação da compensação digital, que irá substituir o procedimento físico. Essa mudança será implantada nesta sexta-feira, dia 20 de maio --os bancos terão 60 dias para adaptação ao novo sistema.

Com a compensação digital, os cheques não serão mais transportados entre os bancos. Hoje, o banco que recebeu um cheque envia o documento para a câmara de compensação do Banco do Brasil. O BB, por sua vez, faz o encaminhamento dos cheques às instituições financeiras de origem do documento para averiguação de saldo em conta corrente e conferência de assinatura, data, preenchimento de valor etc. Somente após esse procedimento é que a compensação é feita --o que pode demorar quase um mês.

No novo processo, o banco irá capturar as informações do cheque por meio de código de barras e imagem. Essas informações serão enviadas para o BB, em um único arquivo, que irá processá-lo e e enviá-lo ao banco de origem. O cheque em papel ficará no primeiro banco, sem a necessidade de haver o transporte.

Cheques de até R$ 299,99 serão compensados em até dois dias; para valores acima de R$ 300, a compensação irá demorar apenas um dia.

O novo sistema foi pensado pela primeira vez pelos bancos em 1995, mas não havia, na época, tecnologia disponível. Os testes começaram em julho de 2010.

SEGURANÇA

A Febraban afirma que o procedimento é mais seguro, porque reduz a possibilidade de clonagem, extravio, perdas e roubo dos cheques. "Esperamos uma forte redução na clonagem e falsificação nos cheques que proporcionaram, em 2010, um prejuízo estimado em R$ 1,2 bilhão para o comércio e de R$ 283 milhões para os bancos", afirmou o diretor adjunto de Serviços da entidade, Walter Tadeu de Faria.

De acordo com ele, são movimentados 90 milhões de cheques por mês no Brasil.

O procedimento irá eliminar cerca de mil roteiros terrestres e 50 aéreos, usados hoje para transportar os documentos, gerando economia de R$ 100 milhões por ano, segundo Dario Antonio Ferreira Neto, do Comitê de Transporte Compartilhado de Malote da Febraban.

A entidade não sabe qual foi o custo total do sistema, já que cada banco escolheu seu fornecedor e a forma de implementá-lo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTO CEGO
Operação do Gaeco mira facção e cumpre 40 mandados de prisão em quatro cidades
BATAGUASSU
Homem é flagrado transportando drogas na BR-267
DOURADOS
Proposta de R$ 116 mil vence licitação para construir trilha em bosque na feira
DOURADOS
Délia exonera Berenice Machado da Secretaria de Saúde
BRASIL
Saiba como fazer o teste diagnóstico de covid-19 pelo plano de saúde
PANDEMIA
Em dia que passou de 3 mil casos de coronavírus, Dourados tem isolamento de 42,7%
DOURADOS
Desconhecidos roubam carro de vítima no Residencial Oliveira
BRASIL
Nascidos em fevereiro podem sacar auxílio emergencial do 3º lote
ASSEMBLEIA
Seis projetos estão pautados para a Ordem do Dia desta terça-feira
EDUCAÇÃO
Unip Ead cada vez mais próximo de você!! Conheça um pouco do gestão de turismo da Unip Polo Dourados

Mais Lidas

DOURADOS
Antes do crime, homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara
DOURADOS
Acusado de matar secretário em Dourados acaba preso em barreira sanitária
DOURADOS
Carro que atingiu ciclista pega fogo após bater em árvore ao lado de Avenida
DOURADOS
Adolescente pilota moto embriagado e tio morre após queda na Coronel Ponciano