Menu
Busca quarta, 23 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221

Hugo Chávez continuará na presidência e posse será adiada

05 janeiro 2013 - 11h15

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, continuará no poder ainda que não possa assumir o novo mandato para o qual foi reeleito, disse nesta sexta-feira (4) o vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. A posse de Chávez está prevista para a próxima quinta-feira, 10 de janeiro.

Maduro disse que a posse é uma "formalidade" e que será resolvida posteriormente no Supremo Tribunal.

"O período constitucional 2013-2019 começa em 10 de janeiro. No caso do presidente Chávez, que é um presidente reeleito, ele continua nas suas funções e a formalidade de seu juramento poderá ser resolvida perante o TSJ", disse Maduro, em entrevista ao canal oficial VTV, em alusão ao Supremo Tribunal de Justiça.

O vice-presidente fez estas declarações ao ser consultado sobre a hipótese de que o mandatário, hospitalizado desde 11 de dezembro em Cuba, não possa assumir na próxima quinta-feira o terceiro mandato de seis anos após ser reeleito, em 7 de outubro.

Nesta quinta (3), o governo venezuelano anunciou que o presidente passar por uma insuficiência respiratória, consequência de uma "severa infecção pulmonar".

Herdeiro político de Chávez, Maduro disse que o Supremo resolverá "o momento" do juramento "em coordenação" com o presidente.

Hugo Chávez, de 58 anos, 14 deles no poder, foi "reeleito por vontade da maioria nacional em um evento eleitoral absolutamente transparente e legítimo", acrescentou.

Desta forma, Maduro excluiu que a possível ausência do presidente perante a Assembleia Nacional na semana que vem leve a declarar sua ausência e a nomeação temporária do titular do Legislativo, como demanda a coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD).

Maduro acusou, ainda, a oposição venezuelana de manipular as teses de "golpe rápido" e "golpe lento" às vésperas do 10 de janeiro.

O impasse político segue na Venezuela. A Assembleia Nacional da Venezuela espera reeleger neste sábado (5) como seu presidente Diosdado Cabello, aliado estratégico de Hugo Chávez, o que o coloca como o encarregado de liderar o país se o governante não se recuperar de sua última cirurgia contra o câncer.

Isso porque a Constituição do país estabelece que o chefe do órgão legislativo deve tomar as rédeas da república e convocar eleições diante da incapacidade de um presidente eleito de assumir o cargo. Maduro defende que Chávez já é o presidente eleito e, portanto, não precisa ser legitimado com a posse no dia 10.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Aéreas brasileiras transportaram 103 milhões de passageiros em 2018
COXIM
Mulher não consegue falar com marido que é encontrado morto pela filho
UFGD
Concursos para docentes e técnicos divulgam candidatos isentos
ECONOMIA
Secretaria de Fazenda publica valor atualizado de Uferms para fevereiro
FORÇAS ARMADAS
Polícia recupera pistola de uso restrito desaparecida desde 2016
APRENDIZES-MARINHEIRO
Marinha abre inscrições para concurso com 1 mil vagas em todo país
ANASTÁCIO
Homem agride e furta dinheiro mãe para comprar bebida alcoólica
TELEVISÃO
Vanderson sai da casa para depor e é desclassificado do BBB19
CORUMBÁ
Homem é autuado por maus tratos a cavalo
PRIORIDADES
Onyx apresenta 35 metas para os primeiros 100 dias de governo

Mais Lidas

POLÍCIA
Homem morre após ser atropelado por Mini Carregadeira em Dourados
BRASILÂNDIA
Dono de casa de prostituição é preso por tráfico de mulheres
ENERGISA
Consumidores podem recorrer ao valor da conta de energia sem sofrer corte no fornecimento
TRÁFICO
Carga de cocaína apreendida na BR-463 poderia render até R$ 47 milhões no Brasil