Menu
Busca terça, 22 de maio de 2018
(67) 9860-3221
CAMPANHA FIEMS
MÁQUINAS DE LAMA

Celular que liga ex-procurador e JBS foi apreendido em operação da PF no MS

14 setembro 2017 - 09h01

O aparelho de telefone celular que liga, através de grupo do aplicativo whatsapp, o ex-procurador Marcello Miller à JBS, foi apreendido na quarta fase da operação Lama Asfáltica, batizada de Máquinas de Lama e realizada há quatro meses em Mato Grosso do Sul pela PF (Polícia Federal), conforme informa o blog do jornalista Fausto Macedo no Estadão, segundo o Campo Grande News.

Com a suspeita de que isenções financeiras concedidas pelo governo eram retribuídas com propina, foram cumpridos, no dia 11 de maio, mandados de busca e apreensão em duas unidades da JBS em Campo Grande e na sede, localizada em São Paulo.

Dias depois, em 17 de maio, veio à tona a delação dos donos da holding J&F, os irmãos Wesley e Joesley Batista.

De acordo com o blog de Fausto Macedo, o celular de Wesley foi apreendido na quarta fase da Lama Asfáltica e, por meio de compartilhamento de prova, utilizado na operação Tendão de Aquiles. A PF identificou um grupo de WhatsApp do qual fazia parte o então procurador.

Segundo os investigadores, Miller deu orientações aos delatores, inclusive sobre o procedimento relativo a anexos da colaboração.

Delação

Depois de implodir o cenário político, com tentáculos que alcançaram até o presidente Michel Temer (PMDB), a delação de Wesley e Joesley, teve mais um capítulo incendiário na semana passada.

A poucos dias de deixar o cargo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou que abriu procedimento de revisão da delação premiada do grupo. No material entregue, há diálogo entre dois colaboradores, Joesley e Ricardo Saud, sobre suposta atuação de Marcello Miller.

Da conversa, depreende-se que ele estaria auxiliando na confecção de propostas de colaboração para serem fechadas com a Procuradoria-Geral da República. A conduta configuraria, em tese, crime e ato de improbidade administrativa.

As consequências imediatas foram a prisão de Joesley e Saud, que se entregaram à Polícia Federal no domingo (dia 10). Ontem, foi preso Wesley Batista, durante a 2ª fase da Tendão de Aquiles, que recebeu o nome de Acerto de Contas.

Conforme a Polícia Federal, a investigação apura o uso indevido de informações privilegiadas em transações no mercado financeiro ocorridas entre abril e maio de 2017, quando houve a divulgação de informações relacionadas a acordo de colaboração premiada firmado pela JBS e a Procuradoria Geral da República.

A operação Lama Asfáltica, força-tarefa da PF, CGU (Controladoria-Geral da União) e Receita Federal, apreendeu no ano passado em Mato Grosso do Sul, durante sua segunda fase, tabelas que "batem" com a planilha de propina entregue pela JBS no acordo de delação premiada na Lava Jato.

A convergência de dados e tabelas indicam a preocupação, de ambos os lados, de ter controle dos valores envolvidos nas transações entre a JBS e o governo do Estado. (Com informações do Campo Grande News)

Deixe seu Comentário

Leia Também

IMUNIZAÇÃO
MS tem quase 50% do público-alvo vacinado contra a gripe
ASSEMBLEIA
Uso de nome afetivo em cadastros às crianças adotadas é aprovado
CAMPO GRANDE
Procon encontra mais de 150 produtos adulterados e gerente de supermercado é presa
FUTEBOL
Vasco se despede da Libertadores em busca de vitória e vaga na Sul-americana
CULTURA
Turma de Artes Cênicas apresenta adaptação de clássico de Shakespeare
NARCOTRÁFICO
Jarvis Pavão é condenado a 10 anos de prisão
REPOSIÇÃO SALARIAL
Servidores da prefeitura têm correção salarial, após cinco anos
MALHA ASFÁLTICA
Prefeitura mantém frentes de tapa-buraco em Dourados
SOLIDARIEDADE
Na semana de doação de leite, conheça como a amamentação ajuda a sensibilizar mulheres
NOVA ALTERNATIVA
Anvisa aprova novo genérico para tratamento da hepatite C

Mais Lidas

FLAGRANTE
Policial aposentado é preso com cocaína em Dourados
CAPITAL
Criança morre em acidente com moto pilotada pelo avô
JARDIM PANTANAL
Homem é baleado após ser cercado por grupo
DOURADOS
Postos da Seleta, Santo André e Vila Rosa terão atendimento reduzido