Menu
Busca quarta, 23 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
POLÍTICA

CCJ tenta concluir debate e votar hoje parecer da 2ª denúncia contra Temer

18 outubro 2017 - 07h31Por G 1

Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados retomará nesta quarta-feira, dia 18 de outubro, a discussão sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

O debate começou nesta terça (17) e, ao todo, 47 deputados já se pronunciaram, dos quais 35 contra o presidente e 12, a favor.

Para esta quarta estão previstos os discursos de mais 9 deputados (outros parlamentares ainda podem se inscrever).

Nesta fase, a CCJ discute o parecer do relator, deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG), que recomenda a rejeição da denúncia.

Passada a fase a discussão, Bonifácio terá até 20 minutos para se pronunciar sobre o relatório. Em seguida, poderão falar os advogados de Temer, de Padilha e de Moreira.

Concluída esta etapa, os deputados da CCJ passarão, então, a votar o relatório de Bonifácio Andrada.
O parecer será aprovado ou rejeitado conforme a maioria dos votos, desde que estejam presentes à sessão, pelo menos, 34 parlamentares.

Independentemente do resultado, a palavra final sobre o prosseguimento ou não da denúncia caberá ao plenário da Câmara.

Temer foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa.

Mas o STF só poderá analisar a acusação contra o presidente se a Câmara autorizar.

CCJ começa a discutir parecer pela rejeição da denúncia contra Temer

Primeiro dia de discussão

Nesta terça, primeiro dia de discussão sobre a denúncia, deputados contrários ao governo chegaram três horas antes da sessão para marcar um lugar na fila de oradores.

Alguns deputados da base aliada, por outro lado, chegaram a abrir mão dos discursos.

A oposição focou no argumento de que Temer, Padilha e Moreira precisam responder pelos crimes atribuídos pela Procuradoria Geral da República. Primeiro deputado a falar na sessão, Alessandro Molon (Rede-RJ) defendeu que a Câmara autorize a instauração do processo.

"Esta será a oportunidade para esta Casa se reencontrar com o povo brasileiro. [...] A maioria absoluta da população quer que esta Casa aprove a instauração de processo, quer que Temer responda por seus crimes." – Alessandro Molon (Rede-RJ)

Entre os aliados de Temer, parlamentares defenderam que a denúncia é fraca e deram destaque para resultados na economia obtidos pelo governo Michel Temer.

O deputado Mauro Pereira (PMDB-RS), por exemplo, disse que o governo melhorou índices da bolsa de valores, reduziu o desemprego e ampliou os níveis de confiança. Ele disse ter recebido pedidos de prefeitos e empresários de que o presidente consiga concluir o mandato.

"Qual a vantagem que nós teríamos hoje de tirar o presidente Temer? E colocar quem? E depois fazer uma escada para que o PT venha com o nome 'Deus' dele?" – Mauro Pereira (PMDB-RS)

O deputado Ivan Valente (Psol-SP) criticou as falas de governistas. "Eles não tocam no central das questões, que é a denúncia e a materialidade da prova contra o presidente da República", afirmou.

Parlamentares aliados ao Planalto também alegaram que barrar o avanço da denúncia não isenta Temer, já que a acusação será apreciada pelo Judiciário ao final do mandato do presidente, em dezembro de 2018.
"Depois [do fim do mandato] ele vai responder a essa acusação perante a Justiça", disse o deputado Franklin Lima (PP-MG).

Deixe seu Comentário

Leia Também

CHAPADÃO DO SUL
Motociclista morre após ser atingido por carro e arremessado contra muro
ÓLEO
Senadores pedem declaração de emergência ambiental no Nordeste
AMAMBAI
Homem é suspeito de esfaquear a filha após ser denunciado por estuprá-la
PRAZO
Submissão de trabalhos para Jornada de Linguística vai até o dia 30
NOVA ALVORADA
Pastor evangélico é esfaqueado dentro de igreja após culto
EDUCAÇÃO
Enem para privados de liberdade registra mais de 40 mil inscritos
JUSTIÇA
Comparsa de homicídio de adolescente vai a júri nesta quarta-feira
SEU BOLSO
Aneel sobe tarifa da bandeira vermelha e reduz da amarela em Novembro
COXIM
Mãe é presa após estrangular filho de 3 anos com fio de energia
EMPREGO
Marinha abre inscrições para profissionais com ensino superior completo

Mais Lidas

HAYEL BON FAKER
Homens são presos fazendo sexo em via pública em Dourados
DOURADOS
Três são presos após ‘batida’ em ‘boca de fumo’ no Jardim Pantanal
DOURADOS
“Se não pagar vocês não vão dormir, não vão ter paz”, ameaçou professora indígena presa por extorsão
DOURADOS
Suspeito de extorsão em área de conflito, policial é levado ao Presídio Militar da capital