Menu
Busca quinta, 14 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
POLÍTICA

Câmara aprova texto-base de projeto que prevê nova lei de licitações

25 junho 2019 - 21h05Por G 1

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feiram dia 25 de junho, o texto-base de um projeto que prevê uma nova lei de licitações. Para concluir a votação, os deputados precisam analisar os destaques (sugestões de mudança ao projeto), etapa que ainda não havia sido concluída

A atual lei sobre licitações está em vigor desde 1993. Pela Constituição, o poder público – União, estados e municípios – é obrigado a utilizar as licitações como meio para realizar obras e fazer compras de produtos e serviços.

O texto do relator, Augusto Coutinho (SD-PE), prevê que as normas da nova legislação vão valer nos níveis federal, estadual e municipal e irão abranger os poderes Legislativo e Judiciário.

As novas regras, pelo relatório, não vão valer para empresas estatais, já regidas pela Lei de Responsabilidade das Estatais.

O que diz o projeto

O projeto prevê as seguintes fases de licitação: preparatória; divulgação do edital; apresentação de propostas e lances; julgamento; habilitação; recursal; homologação.

Na prática, a habilitação passa a ser uma etapa posterior ao julgamento de propostas, o que resultará na inversão de etapas. O texto prevê que as licitações devem ocorrer, preferencialmente, de forma eletrônica.

A proposta também alterou as modalidades de licitação, incluindo o chamado diálogo competitivo, uma forma de licitação em que os governos chamam a iniciativa privada, para que as empresas apresentem possíveis soluções às demandas de contratação de serviços.

Este modelo de atuação será possível no caso de compras que envolvam inovações tecnológica, ou em situações em que o poder público não conseguem definir as especificações técnicas com precisão.

Outros pontos

Saiba outros pontos previstos pelo projeto:

Mudança nas regras sobre dispensa: Obras e serviços de engenharia no valor de R$ 100 mil poderão ter dispensa de licitação; no caso de compras e outros serviços, a dispensa poderá ser feita em empreendimentos de até R$ 50 mil (a legislação atual prevê dispensa de licitação para serviços e compras de até R$ 8 mil, além de obras e serviços de engenharia de até R$ 15 mil);

Criação do Portal Nacional Nacional de Contratações Públicas: site que vai centralizar as informações sobre as licitações realizadas (editais, lances, projetos apresentados, pagamentos e situações dos empreendimentos);

Punições

A proposta amplia a punição para a fraude em licitações: quem praticar o crime terá de cumprir pena de 4 a 8 anos de prisão (a lei atual prevê prisão de 3 a 6 anos).

A nova lei de licitações concentra todas as normas para as licitações, revogando a Lei de Licitações (1993), a Lei do Pregão (2002) e o Regime Diferenciado de Contratações (2011).

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
Trio suspeito de envolvimento em assaltos é preso com arsenal de guerra
POLÍTICA
Senador Nelsinho consegue R$ 4,5 milhões de recursos federais para MS
GAMELEIRA
Integrantes do PCC fazem motim e ameaçam ataques na Capital
ESPORTES
Divulgada a lista dos representantes de MS nas Paralimpíadas Escolares
Comerciante é condenado a prestar serviços comunitários por atirar em cliente
DOURADOS
Mesa redonda e encontro de mães marcam o Dia da Prematuridade no HU
BR-262
Polícia encontra dois corpos em carro incendiado às margens de rodovia
FERIADO
Coleta de lixo será suspensa no dia da Proclamação da República
Traficante brasileiro que liderava facção é expulso pelo Paraguai
CINEMA
Fernanda Montenegro descarta papel no filme 'Animais Fantásticos'

Mais Lidas

DOURADOS
Encontrado morto na PED dividia cela com 18 internos em ala comandada por facção
TRÂNSITO
Bêbado invade preferencial e deixa família ferida em Dourados
ENCOMENDADA
Quadrilha desarticulada tinha ordem de facção para roubar seis motos em Dourados
PURIFICAÇÃO
Preso, ex-secretário de Saúde é exonerado do cargo de coordenador do Samu