Menu
Busca segunda, 20 de agosto de 2018
(67) 9860-3221

Brasil ocupa 37ª posição em ranking de competitividade internacional da Fiesp

26 novembro 2012 - 17h45

Dados divulgados hoje (26) pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) revelam que o Brasil ficou em 37ª lugar no Índice de Competitividade da instituição (IC-Fiesp). O levantamento compara 43 países no ano de 2011, a partir do desempenho de oito fatores: economia doméstica, abertura econômica, eficiência de governo, facilidade na obtenção de capital, infraestrutura, tecnologia, produtividade e capital humano.

Os Estados Unidos ficaram em primeiro lugar na classificação, com 91,8 pontos; Taiwan, segunda colocada, ficou com 75,3 pontos. A China foi classificada em 22º lugar (53,9 pontos); a Rússia, em 24º (50 pontos); a África do Sul, 36º (24 pontos) e a Índia, 43º (8,9 pontos).

O Brasil figura no grupo de competitividade baixa, com 22,5 pontos e está abaixo de países como México, que aparece no ranking em 34º lugar, com 28,3 pontos, e Tailândia, em 35º lugar, com 26,3 pontos. “[No Brasil,] elevados juros e spread [diferença entre a taxa de captação do dinheiro pelo banco e a taxa cobrada do cliente] limitam o crédito, o que, combinado com a alta e crescente carga tributária, desestimulam o investimento”, diz a entidade, em nota.

“O Brasil não mostra um desempenho competitivo em seus resultados comerciais, principalmente por causa do déficit em manufatura, explicado, em grande parte, pelo custo Brasil e pelo comportamento do câmbio”, acrescenta a entidade.

O desempenho do Brasil, no entanto melhorou. Entre 2000 e 2011, o índice de competitividade do país passou de 17,4 pontos para 22,5 pontos – um aumento de 5,1 pontos. A Coreia do Sul apresentou crescimento de 9 pontos no mesmo período, enquanto a China mostrou aumento de competitividade de 8 pontos, seguida pela Irlanda, com ganho de 7 pontos.

“O Índice de Competitividade Fiesp apurou que o aumento da produtividade da indústria, do gasto com pesquisa e desenvolvimento, do registro de patentes e do investimento em educação foram vetores do crescimento nesses países que lideraram o desempenho competitivo entre 2000 e 2011”, diz a Fiesp.

De acordo com o ranking, a Suécia, a Finlândia e o Japão foram os países que mais perderam competitividade entre 2000 e 2011, com decréscimos de 9, 8 e 7 pontos, respectivamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Gracyanne Barbosa sensualiza de lingerie e arranca suspiros de seguidores
MATO GROSSO DO SUL
Portaria que estabelece prazo para empreendimentos é publicado no Diário Oficial
BRASIL
Pesquisa da CNI mostra melhora na confiança dos empresários
ELEIÇÕES 2018
Juiz nega recurso e mantém multa a Odilon por uso de outdoors
AUDIÊNCIA PÚBLICA
Incentivo fiscal ao esporte será debatido amanhã na Assembleia
BRASIL
Moraes diz que multas a caminhoneiros não podem ser perdoadas
EDUCAÇÃO
Universidades vão escolher como distribuir bolsas de doutorado
COTAÇÕES
Dólar fecha em alta e vai a R$ 3,95, maior valor desde fevereiro
SELEÇÃO ESTAGIÁRIOS
HU-UFGD divulga resultado preliminar da seleção pública de estagiários
AÇÃO CONJUNTA
Ação conjunta entre PF e PMA autua seis pescadores do Paraná por pesca ilegal

Mais Lidas

BRUTALIDADE
Estudante de medicina brasileira é assassinada na fronteira
BR-463
Acidente mata motociclista que tentava atravessar rodovia em Dourados
FRONTEIRA
Trio suspeito de matar policial paraguaio é preso
DOURADOS
Homem acorda na madrugada e dá “de cara” com ladrão dentro de casa